Anomalias e doenças

Pâncreas artificial está sendo testado e promete melhorar muito a qualidade de vida de pessoas com diabetes tipo 1

O pâncreas é responsável pela produção de uma variedade de Hormônios no nosso corpo, incluindo a insulina que ajuda a controlar os níveis de açúcar no sangue. As pessoas  que não conseguem controlar seu nível de açúcar – por não produzir insulina (tipo 1) ou pela produção de insulina insuficiente (tipo 2) – tendem a desenvolver diabetes.

Injetar insulina é o método mais usado para o tratamento, No entanto, diversos outros métodos são estudados o tempo todo em laboratórios médicos e instituições em todo o mundo. Agora, uma nova pesquisa desenvolvida na Harvard University e na Virginia School of Medicine está dando mais esperanças às pessoas com Diabetes tipo 1. Um ensaio clínico vai testar um pâncreas criado artificialmente em pacientes com diabetes tipo 1.


Durante seis meses, 240 pessoas que sofrem desta condição nos EUA receberão o dispositivo.  Ao contrário de um transplante de órgão regular, este pâncreas artificial ficará do lado de fora do corpo, funcionando como um sistema de administração de insulina automatizado projetado para agir com o objetivo de regular a glicose do corpo.

diabetes

Como vai funcionar?

Uma bomba de insulina e um dispositivo capaz de monitorar os níveis de açúcar do sangue é implantado sob a pele e um fio é conectado a um smartphone. Um software irá monitorar o tempo todo os níveis de glicose no sangue e quando estes se tornarem elevados, a insulina contida no interior do dispositivo é injetada no paciente, sem dor. O dispositivo também mede os padrões de sono dos pacientes, os níveis de stress, metabolismo, níveis de nutrientes, e a sua atividade física geral, permitindo-lhe ao longo do tempo cada vez mais precisos fazer previsões quanto ao momento de uma nova injeção de insulina será necessária.

A ideia é poder levar uma melhor qualidade de vida para as pessoas com diabetes tipo 1. Mas não é uma solução para diabetes, no entanto, é um meio para melhorar a qualidade de sua vida dessas pessoas“, disse Francis J. Doyle III,  principal cientista e líder do projeto.

O diabético poderá acompanhar regularmente os seus próprios níveis de açúcar no sangue. Ele poderá se dar ao luxo de esquecer de tomar sua dose de insulina, pois o dispositivo farpa todo este trabalho.

Fonte: iflscience  
Imagens: insulina/iflscience

⚠  ATENÇÃO:  Nosso novo site, especial para mulheres, já está no ar. Acesse Diário Mulher.



Comentários

Novidades

Topo