É verdade mesmo: interruptor implantado nos testículos pode ligar e desligar esperma e evitar a gravidez.

Não tem jeito: até hoje a vasectomia é o método mais eficiente para evitar gravidez, por parte do homem. Mas parece que agora isso é coisa do passado. É possível que ao invés de fazer uma vasectomia irreversível, o homem poderá colocar um botão interruptor que liga e desliga o fluxo de esperma, impedindo assim que os espermatozoides saiam dos testículos. Isso mesmo, um botão como esses de acender e apagar a luz, mas, ao invés disso, é a fertilidade que é “ligada” ou “desligada”.

O “interruptor de esperma” foi desenvolvido pelo inventor alemão Clemens Bimek como uma forma de tornar os homens também responsáveis pela prevenção da gravidez sem que eles tenham que fazer isso de maneira decisiva.  O dispositivo foi patenteado no ano 2000 e o primeiro protótipo foi desenvolvido em 2006 e recebeu o nome de Bimek SLV, é feito de PEEK OPTIMA, um polímetro usado para implantes. O aparelho em si é de 18 milímetros de comprimento e pesa apenas 2 gramas.

O inventor reclama ainda da falta de credibilidade que sofreu por alguns profissionais da área da saúde. “Muitos médicos que consultei não me levaram a sério. Mas tiveram alguns que me encorajaram a continuar criando e me ajudaram com sua expertise”, declarou.

Como funciona

O Bimek SLV é implantado em  uma cirurgia que dura cerca de 30 minutos, feita com anestesia local. Durante a operação o canal espermático é seccionado e tem suas extremidades conectadas ao dispositivo, que fica inicialmente desligado, ou seja, permite a passagem do esperma. A estrutura volta, então, a ser colocada dentro do saco escrotal e o médico sutura o corte. O paciente pode ir para casa logo em seguida.

O Bimek SLV funciona direcionando o fluxo do esperma de volta aos testículos quando ligado. Caso o homem deseje voltar a ser fértil, basta desligá-lo apertando o botão que fica implantado internamente no testículo, mas pode ser sentido externamente através da pele. Segundo os desenvolvedores, o processo é indolor e muito fácil de ser realizado.

O porta-voz da Associação Profissional dos Urologistas alemães, Wolfgang Buhmann, diz que se preocupa com a criação de cicatrizes no local da implantação, que podem impedir o fluxo do esperma mesmo quando a válvula estiver aberta. Outra preocupação de Buhmann é que o dispositivo, se fechado por muito tempo, acabe entupindo os vasos.

Fonte: bolsademulher/pop.com   Imagens: bolsademulher/pop.com