Curiosidades

Muitas mulheres fazem cocô durante o parto. Você sabia disso? Será que é normal?





O parto natural é um evento natural e fisiológico onde envolve além de uma grande quantidade de hormônios, a ação de diversos músculos pélvicos. Por causa disso, os médicos garantem que fazer cocô durante o trabalho de parto ou da expulsão do bebê é completamente natural. Não há motivos para preocupação, medo ou vergonha. Aliás é algo bastante comum e acontece com muito mais frequência do que você pode imaginar.

Por que acontece?

Durante o parto, é extremamente comum que uma mulher acidentalmente expulse o “conteúdo” do seu corpo. Há uma boa razão para isso: os músculos que você usa para empurrar o bebê para fora são os mesmos que você normalmente usa durante uma evacuação. Como se isso não fosse suficiente, o bebê diretamente empurra o reto quando está nascendo, ajudando a espremer qualquer coisa perto dessa saída.


Segundo especialistas quando o trabalho de parto começa, o corpo libera uma série de hormônios que podem afetar o intestino, dando uma vontade bem grande de fazer cocô. A sensação é semelhante ao desconforto que aparece durante a menstruação. Um dos sintomas que indicam que o trabalho de parto vai começar é justamente a vontade de ir ao banheiro, acontecimento que, mais tarde, pode evitar a evacuação no nascimento ou reduzir a quantidade de cocô expelido.

parto11

É possível segurar o cocô durante o parto?

Durante o trabalho de parto e na hora do evento, os médicos orientam que o cocô não seja segurado. Isso, pode de alguma forma atrapalhar a desenvoltura psicológica e emocional da mãe e atrapalhar o bom desenvolvimento do trabalho de parto impedindo o nascimento no momento mais favorável, dentro do seu tempo e com boas condições vitais. “O parto é entrega. Se a mulher sente qualquer sensação semelhante à de evacuar e trava, ela está também travando o canal vaginal e dificultando a saída do bebê”. Diz o obstetra Alberto Guimarães, da rede Parto sem Medo.

Pode contaminar o bebê?

As mães sempre se preocupam com essa questão, embora os obstetras garantam que na maioria dos casos o bebê sequer entra em contato com o cocô. Isto porque o ânus e o canal vaginal são lugares diferentes e, hoje em dia, os médicos e enfermeiros estão prontos para ajudar a limpar essa bagunça. Na maioria dos casos, eles nem sequer avisam a paciente, para que ela não saiba a diferença.

Fonte: scarymommybolsademulherhypescienceparents   Imagens: Reprodução/scarymommy/espaçoclaudia
Comentários

Novidades

Topo