Você acredita em unicórnios? Saiba que, de certa forma, eles existem!

Algumas lendas parecem tem origem desconhecida, e portanto parecem não ter uma razão definida, porém muitos creem com veemência. Quem nunca ouviu falar no célebre animal com uma forma de cavalo, com um só chifre de formato espiral, branco e cheio de pureza, por vezes descrito com asas e que vive nas florestas do norte da Europa… Você já deve ter imaginado que nos referimos aos unicórnios, né? E eles existem? Até hoje esses animais não passaram de meros relatos e fantasias, e apesar de vários estudiosos tentarem, ninguém consegue remontar se quer a origem do mito. No entanto, esses animais com poderes mágicos são frequentemente retratados em mitologias, nas artes medievais e renascentistas, e em filmes, como é o caso de Harry Potter (aos fãs da série, lembre-se que Voldermort precisava consumir o sangue do bichinho para permanecer vivo, e por isso levava uma vida amaldiçoada).

Mas calma, não desanime! Apesar de não existir o unicórnio de fato, alguns animais na natureza possuem características que nos lembram desse animal mitológico. Em uma reportagem da BBC Earth, traduzida pela BBC Brasil, são apontados 10 “unicórnios da atualidade”. Confira:

1- Rinoceronte indiano

Indian-rhinoceros-grazing

Com o nome científico Rhinoceros unicornis (bem sugestivo, por sinal), o animal tem UM chifre, tal como os unicórnios. Seu chifre, que pode ter até 1 metro, é feito de queratina tal como nossas unhas e cabelos. É o maior rinoceronte dentre as 3 espécies asiáticas e quase foi extinto no século XX por conta da sua caça indiscriminada, chegando a ter menos de 200 indivíduos vivos. Hoje, graças a políticas de preservação, passam de 3.000 indivíduos, mas, apesar de sua caça ser proibida, ainda são os alvos mais comuns de caçadores (saiba mais, clique aqui). Tal como o unicórnio, crenças e misticismos recaem sobre o chifre do rinoceronte. Acredita-se que seu chifre tenha poder de cura para doenças como o câncer, além de propriedades afrodisíacas, ajudando na impotência sexual. Por conta dessas crendices sobre o seu chifre, o animal é tão caçado.

2- Saola

saola

Conhecido como “unicórnio asiático”, esse animal tem uma característica típica dos unicórnios: (quase) nunca os vemos! São experts em fugir, e por isso esse bovino só foi descoberto em 1992 na fronteira do Vietnã com Laos, quando cientistas encontraram seu crânio na casa de caçadores. Pessoalmente, só muito recentemente esse animal foi visto. Seu nome significa “chifre em carretel” em referência aos cornos paralelos e retos que chegam a 50 centímetros. Por serem tão fugidios, não se sabe ao certo quantos indivíduos existem, mas há estimativas (por meio de observações de suas fezes, de fotos e de conversas com habitantes da região em que vivem) que existam em torno de 100, ameaçados pela perda de habitat e caça.

3-  Narval

narval

“Parente” das baleias e dos golfinhos, sem dúvida o Narval é um dos animais com o “chifre” que mais se aproxima de um unicórnio. No entanto, a estrutura em espiral que vemos sair da boca do animal, e que pode chegar a ter 2,6 metros de comprimento, não se trata de um chifre, mas de um dente superdesenvolvido. Para que ele serve? Não se sabe bem ao certo, mas alguns cientistas acreditam que sirva para “picar” o gelo em seus deslocamentos pelos gelados mares do Ártico, ou para duelos na luta por uma fêmea ou mesmo como uma sonda acústica. Recentemente descobriu-se que esse dente não possui esmalte e a água passa direto do dente aos terminais nervosos, permitindo que o narval perceba diferenças de temperatura e salinidade do mar.

4- Unicórnio-de-nariz-curto

Naso-unicornis-RSLG

Algumas espécies do gênero Naso, peixes coloridos de águas mornas que vivem em regiões tropicais, também são conhecidos como “peixes-unicórnios”. Isso porquê espécies desse gênero possuem uma saliência na cabeça que parece com um chifre de unicórnio. E esse chifre se desenvolve com a idade, o que faz com que os peixinhos mudem seus hábitos alimentares (peixes jovens comem algas no fundo do mar, enquanto peixes mais velhos comem zooplâncton ou fezes de outros peixes – ECA!). Uma das espécies mais características é o unicórnio-de-nariz-curto (Naso unicornis), que tem até 60 centímetros de comprimento e pode chegar a ter 6 centímetros de “chifre”. Ainda não se sabe exatamente, também, para que serve esse chifre.

5-  Louva-a-Deus-unicórnio-do-Texas

Phyllovates_chlorophaea

Vários membros da família Mantidae, comumente chamados de louva-a-deus por dar a impressão de estarem rezando ao dobrar as patas traseiras, recebem o nome de unicórnio. E porque? Porque entre seu par de antenas há uma pequena protuberância em forma de um chifre. O mais conhecido dentre as espécies é o louva-a-deus-unicórnio-do-Texas (Phyllovates chlorophaea) que vive na fronteira entre Estados Unidos e México, chega a medir 7,5 centímetros e é um ótimo caçador de traças e gafanhotos.

6- Ocapi

 ocapi

Esse curioso mamífero, descoberto apenas na virada do século XX, foi chamado de “unicórnio africano”, quando foi avistado pela primeira vez em expedições na região do Congo. Sem dúvidas esse animal têm muitas semelhanças com o unicórnio, pois assim como o bicho mitológico, ele possui características muito semelhantes a vários outros animais. Enquanto o unicórnio têm um corpo de um cavalo branco, patas e barbicha de bode, rabo de leão e um chifre alongado que parece com o de várias outras espécies como as anteriormente citadas, o ocapi (Okapia johnstoni) têm o corpo de um cavalo marrom, pernas listradas como de uma zebra, orelhas como de uma vaca, um pescoço relativamente comprido (já que são os parentes mais próximos das girafas) e chifres de até 15 centímetros nos machos.

7-  Pauxi pauxi

pauxi

Não que se possa dizer “NOSSA, MAS QUE UNICÓRNIO”, mas essa é uma ave com um aspecto exótico: ela tem um belo chifre ornamental azul-claro em sua testa, que chega a atingir 6 centímetros. Além disso, em uma lista de unicórnio que se prese é necessário ter um bichinho alado (muitas lendas dizem que nosso amiguinho voa, né?). A ave em questão, que tem o tamanho de um peru e vive nas florestas da América do Sul, é uma das espécies mais ameaçadas do planeta por causa da caça e desmatamento na base dos Andes.

8- Camarão-unicórnio

ff

Com um nome científico atribuído em reconhecimento a outro “unicórnio do mar” citado anteriormente (o narval), a espécie Plesionika narval é encontrado com ampla distribuição (desde a costa da Angola até o mar Mediterrâneo, além da Polinésia francesa). Vivem, portanto, em águas frias, em até mais de 900 metros de profundidade e recebe o nome genérico relacionado a um unicórnio devido a uma espécie de “bico” alongado em forma de chifre, coberto por pequeninos dentes, que cresce entre suas antenas.

9-  Órix-da-Arábia

oryx

Esse é um dos animais mais parecidos com o unicórnio e já até foi descrito como um “protótipo” de unicórnio. Esse antílope (Oryx lucoryx) não tem um chifre tal como os unicórnios (possui um par de chifres que chega a 75 centímetros), mas seu corpo branco assemelha-se as descrições do místico animal. O órix ainda possui um rabo escuro e forma de tufo e um casco fendido como outros antílopes. A ele também é atribuído um poder “místico”, pois tem a capacidade de detectar chuvas e ir até elas (algo útil e louvável para viajantes do deserto do Oriente Médio). O animal chegou a ser declarado extinto em 1970, mas programas de conservação também conseguiram salvar essa espécie e reintroduzi-la na natureza. Hoje, estima-se que há mais de 1000 indivíduos existentes.

Fontes:bbc/megacurioso/infoescola/wikipedia    Imagens: pinterest/nature/wetweb/biolib/birds/catalog/ouessan