Curiosidades

Estudo diz que cérebros de homens e mulheres são semelhantes e que é errado trata-los como diferentes

Estudo diz que cérebros de homens e mulheres são semelhantes e que é errado trata-los como diferentes
Esse texto foi útil para você?

Existem hoje uma variedade de métodos neurocientíficos sofisticados que permitem aos cientistas testar diferenças minúsculas entre quaisquer grupos de cérebros. Muitos deles já comprovaram que durante o desenvolvimento do embrião no útero, os hormônios circulantes têm um papel muito importante na diferenciação sexual do cérebro. A presença de andrógenos no início da vida, produzem um cérebro “masculino”. Ao contrário, acredita-se que o cérebro “feminino” se desenvolva por um mecanismo de ausência hormonal, a falta de andrógeno e presença de hormônios ovarianos também desempenham um papel fundamental na diferenciação sexual.

Só que um novo estudo publicado no periódico científico Proceedings of the National Academy of Sciences, que desmistifica algumas crenças ainda comuns quanto a relação entre gêneros garantindo que o tratamento dado de forma diferente para o cérebro de homens e mulheres é ERRADO!


Contrariando pesquisas anteriores, pesquisadores da Universidade de Tel-Aviv, em Israel, avaliaram ressonâncias de cerca de 1.400 pessoas e divulgaram que não existe uma diferença específica entre os cérebros de homens e mulheres. Os resultados dos exames indicaram que a massa cinzenta (composta por neurônios), substância branca (conjunto de células com função de sustentação) e conexões neurais são muito semelhantes nos homens e nas mulheres. A psicóloga e professora Daphna Joel, responsável pelo estudo, que “Todos os cérebros são uma mistura de atributos masculinas e femininas em diferentes proporções. Cada pessoa possui um mosaico único de características: algumas mais comuns em homens, algumas mais comuns em mulheres e outras comuns em ambos”.

li-brain-mri-istock

O tratamento diferenciado é um erro!

A pesquisadora também alerta que as pessoas não devem ser tratadas de maneiras diferentes em função do gênero, como acontece em escolas e levanta diversas questões: “Quem tem um cérebro de menino? Apenas aqueles que têm traços cerebrais completamente masculinos? E se esses garotos têm “cérebro de menino” que tipo de cérebro outros meninos têm? De maneira geral, qualquer argumento que diz que ‘cérebros de menina devem ser assim e cérebros de meninos são de outro jeito’ é perigoso”.

A análise de estudos anteriores sobre personalidade, ações e atitudes e finalizaram que é muito difícil encontrar características completamente “masculinos” ou “femininos” nas pessoas. Mais uma vez reafirmam que a maioria das pessoas tende a ter uma mistura dessas propriedades.

Fontes: cbc/celebremente/bolsademulher/  Imagens: Reprodução/MPneuro/cbc

Comentários

Novidades

Topo