Anomalias e doenças

Cansado de ser careca? Cientistas descobriram nova droga que faz crescer cabelo

Pesquisadores do Centro Médico da Universidade Columbia em Nova Iorque, Estados Unidos, descobriram que as drogas que inibem a família de enzimas Janus quinase (JAK) promovem o crescimento do cabelo rapidamente e mais forte quando aplicado sobre a pele.

A pesquisa foi realizada com ratos e a nova droga mostrou-se eficaz para que o folículo piloso pudesse “despertar” e um novo fio de cabelo pudesse surgir. A cientista Angela Christiano afirma que a descoberta é promissora, porém admite que ainda não seja uma cura para a calvície. A pesquisa foi publicada na revista online Science e levanta a possibilidade de que os inibidores da enzima JAK poderiam ser usados para restaurar o crescimento de cabelo de pessoas por vários acontecimentos, desde a calvície entre os homens até problemas de perda excessiva de cabelo e doenças como a psoríase e alopecia, uma doença auto-imune que causa a perda de cabelo.


Os pesquisadores ficaram impressionados com a descoberta que ocorreu acidentalmente. Os inibidores foram utilizados acidentalmente durante uma pesquisa sobre o tratamento da alopecia e perceberam que quando a droga era aplicada sobre a pele dos ratos, o cabelo crescia muito rapidamente do que quando a droga era dada sistematicamente. Isto foi o bastante para que a equipe de cientistas pudesse concluir que os inibidores de JAK poderiam está causando um efeito nos folículos pilosos, além de reduzir o processo de evolução da alopecia. Então, descobriram que os inibidores desencadeiam um processo que desperta folículo normal e ajuda no crescimento do cabelo.

2DB5E2B100000578-0-image-a-19_1445628527803

Os ratos foram tratados durante cinco dias com os inibidores e dentro de dez dias cabelos novos começaram a nascer rapidamente. “Não há muitos compostos que podem empurrar os folículos pilosos em seu ciclo de crescimento tão rápido”, disse a Dra. Angela Christiano da Universidade Columbia. Alguns agentes tópicos fazem crescer apenas alguns tufos de cabelo em algumas partes do couro cabeludo, mas nenhum é tão potente quanto os inibidores de JAK. Verificou-se também que essas drogas produzem cabelos mais longos e mais fortes.

As pesquisas não param por aí… Os experimentos continuam para começarem a realizar testes em seres humanos, principalmente em pessoas afetadas com doenças auto-imunes como a alopecia! Quem sabe num futuro próximo não existirão mais carecas?! Tudo é possível!

Fontes: dailymail/scielo/sciencemag   Imagens:
 dengxiaoyu/ dailymail
Comentários

Novidades

Topo
error: Sinto muito! Conteúdo protegido.