Anomalias e doenças

Usando um algoritmo, novo aplicativo de celular pode ajudar a detectar câncer de pele



Quando a tecnologia realmente funciona a favor da nossa saúde! Um aplicativo de celular desenvolvido na Austrália assegura que poderá ajudar as pessoas a ter um diagnóstico para o câncer de pele, com precisão de 83%,  promovendo uma “classificação de risco”. O aplicativo de nome SkinVision, utiliza fotos tiradas pela câmera do celular de qualquer mancha da pele. Usando um algoritmo para análise com base na geometria fractal,  avalia o risco de um melanoma na tentativa de aumentar a detecção precoce.

A ideia é sensacional e pode sim, ajudar muita gente pois a classificação de risco fornecida também pode enviar a foto para análise diretamente ao médico do usuário. Dick Uyttewaal, presidente da SkinVision, disse que o aplicativo, obviamente não irá substituir exames clínicos e laboratoriais para confirmar o câncer. No entanto, irá consentir que os usuários tenham maior controle e cuidados de sua pele, principalmente as pessoas que já possuem muitas pintas na pele e sempre tem dúvidas. Dick acrescentou que as manchas ou lesões podem ser verificadas regularmente para ajudar na detecção e prevenção de melanoma e câncer de pele em fase inicial.


O aplicativo permite aos usuários detectar partes do tecido potencialmente cancerígenas, ainda em estágio inicial, aumentando suas chances de sucesso do tratamento.

app

O câncer de pele é uma doença frequente, sendo o mais incidente no Brasil. Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), o carcinoma basocelular e epidermóide são os mais comuns e correspondem a 70% e 25%, respectivamente, dos casos totais de câncer de pele. O câncer de pele não melanoma é mais frequente em adultos, com picos de incidência por volta dos 40 anos. O câncer de pele do tipo melanoma tem incidência menor (cerca de 4% dos casos), entretanto, corresponde à maioria dos casos de morte por câncer de pele. Em países desenvolvidos, a sobrevida média estimada para pacientes com melanoma é de 73% em cinco anos, ao passo que em países em desenvolvido, essa estimativa é de 56%. A média mundial estimada é de 69%.

A Semana Nacional do Câncer de Pele, organizada pela Cancer Council, na Austrália, permitiu, após um acordo com a SkinVision, que as pessoas pudessem realizar a assinatura de um ano grátis ao aplicativo, caso ele tenha sido baixado durante o evento.

Fontes: dailymail/jornalciencia/criasaude   Imagens: jornalciencia/dailymail
Comentários

Novidades

Topo
error: Sinto muito! Conteúdo protegido.