Anomalias e doenças

Surreal! Distúrbio psiquiátrico faz pessoas acreditarem estar se transformando ou terem se transformado em animais



Os mistérios da mente humana não têm fim. Existe uma síndrome  psiquiátrica na qual a pessoa afetada sofre a ilusão de poder se transformar, ou de fato ter se transformado, em um animal, ou que tal pessoa é, de alguma forma, um animal. A doença, conhecida como Licantropia está relacionada com a condição mitológica na qual a pessoa sofre de uma aflição sobrenatural e se transformam fisicamente em lobisomens.

Sim, parece surreal, mas de fato, existem pessoas que acreditam que podem se transformar em animais. A doença é uma condição rara em que o doente tem delírios relacionados a sua mudança de forma e comportamento para um animal. O diagnóstico é feito por meio da descrição do próprio paciente que acredita que seu corpo passa por alterações, como aumento da quantidade de pelos e desenvolvimento de presas no lugar dos dentes humanos. Um comportamento similar ao de animais pode ser observado em alguns casos, muitos passam a andar de quatro e comer sem usar as mãos. Além disso, é comum que faça suas necessidades como um animal e ainda evitem o uso de roupas. Esse tipo de delírio tem tendência a acompanhar sinais e sintomas de outras doenças da mente, como esquizofrenia e distúrbio bipolar.


Sem-Título-3

Um estudo de neuroimagem de dois pacientes diagnosticados com licantropia clínica mostrou que existem áreas do cérebro apresentam uma atividade incomum, sugerindo que, quando as pessoas diziam que o seu corpo estava mudando de forma, elas podiam realmente estar percebendo tais sensações. Uma questão intrigante é o porquê uma pessoa afligida não relatar simplesmente que o seu corpo “parece estar mudando de formas estranhas”, ao invés de apresentar a ilusão de que estão se transformando em um animal especifico. A licantropia parece ser o resultado de experiências corporais inusitadas sendo compreendidas por uma mente já confusa, provavelmente induzida por lendas e tradições folclóricas.

O tratamento deve ser feito com medicamentos e acompanhamento psiquiátrico.

Fonte: Licantropia_cl/doutissima/  Imagens: Reprodução/xatakaciencia/skyjaguar
Comentários

Novidades

Topo
error: Sinto muito! Conteúdo protegido.