Incrível: Especialistas reconstituem rosto de múmia de princesa tatuada morta há 2500 anos. Veja como ela era!

A múmia da princesa Ukok, é um dos achados mais fascinantes da história da arqueologia nos últimos 30 anos. Ela foi descoberta em 1993 pela pesquisadora  Natalia Polosmak  e seu corpo estava em excelente estado de preservação,  em um permafrost (uma espécie de terra congelada) localizado em um alto platô siberiano. A princesa Ukok morreu, provavelmente, aos 25 anos. Acredita-se também que possa ter sido uma curandeira ou uma mulher considerada ‘santa’. Ela foi enterrada com dois homens guerreiros para protegê-la e seis cavalos para facilitar sua vida no “outro mundo”.

Ela foi encontrada com a cabeça completamente raspada e usava uma peruca feita de cabelo de cavalo. Seu corpo, muito bem preservado exibe, depois de tanto tempo, tatuagens na pele do braço esquerdo. Em seu ombro esquerdo foi desenhado um animal mitológico, formado pelo bico de um cervo e os chifres de um capricórnio. No entanto, seu rosto e pescoço sofreram com a decomposição e infelizmente nenhum traço de sua feição pode ser identificado. Agora, o especialista suíço em taxidermia, Marcel Nyffenegger, realizou um incrível trabalho, reconstituindo o rosto da princesa a partir de seus restos mortais.

406

A reconstituição

Trabalhando no Museu Histórico do Palatinado em Speyer, na Alemanha,  Marcel  usou um  modelo 3-D do crânio da princesa, onde levou um mês, agrupando os músculos faciais e camadas de tecido, e  reconstruindo as estrutura da pele, olhos e expressão da princesa. O modelo resultante, de plasticina, foi coberto com silicone e uma mistura de borracha e resina antes da definição de detalhes como sobrancelhas e cílios. Para ficar ainda mais realista, mais de 100 mil fios individuais de cabelo foram implantados, um trabalho que levou duas semanas.

38752404718145453

Fonte: seuhistory/listverse    Imagens: dailymail/nydailynews