Atenção: Celular está cozinhando (e matando) espermatozoides dos homens, diz estudo

Pesquisadores da Universidade de Exeter, no Reino Unido, descobriram que o homem que mantém o telefone celular no bolso da calça pode estar diminuindo a capacidade de ser pai. Estudos anteriores já haviam sugerido que a frequência de radiação eletromagnética emitida pelos dispositivos poderia afetar a fertilidade masculina, mas nenhum deles tinha conseguido provar essa relação.

Os cientistas revisaram dez estudos sobre a qualidade do sêmen, realizados com 1.492 homens. Entre os levantamentos estavam testes em laboratório com o esperma exposto à radiação do telefone celular, além de questionários realizados em clínicas de fertilidade.

Os participantes desses estudos haviam sido atendidos em clínicas de fertilidade e em centros de pesquisa e qualidade do esperma, onde tiveram a qualidade do material genético mensurada de três maneiras: motilidade (a capacidade do esperma de se mover corretamente no sentido de um ovo), viabilidade (a proporção de espermatozoides vivos) e concentração (o número de espermatozoides por unidade de sêmen). De  50% a 85% dos espermatozoides analisados mostravam o movimento normalizado. A partir da exposição aos telefones móveis, a proporção caiu: de 50% a 58% dos gametas que continuaram saudáveis. Houve comprometimento também na quantidade de células reprodutivas vivas. Os efeitos sobre a concentração de espermatozoides por unidade de sêmen foram inconclusivos.

habitos-masculinos-que-sabotam-fertilidade-1

Segundo os estudos, há uma mensagem consistente de que a motilidade do esperma cai com a exposição a celulares. No entanto, não há motivo para pânico, mas, se você já sabe que tem um problema de fertilidade, então é melhor tomar algum cuidado sobre o lugar em que você guarda seu telefone. “Obviamente não estamos dizendo que todo mundo que leva um celular no bolso vai ficar infértil.” admite Fiona Matheus, chefe da cadeira de biociência da Universidade de Exeter.

O estudo não explica como o celular afetaria o esperma. Entre as possibilidades estão a queda do ciclo de produção de sêmen ou danos ao DNA provocados pela radiação eletromagnética emitida pelo telefone. Outra sugestão é que o calor provocado pela proximidade com o celular prejudique o esperma.

Fonte: dailymailoglobouai         Imagens: correio / bolsademulher