Curiosidades

Pais HIV POSITIVO podem gerar filhos saudáveis?



“Vi em uma reportagem que uma mãe ou um pai que tem HIV podem ter um filho saudável sem ser contaminado. Como isso é possível, se um bebê recebe o espermatozoide do pai e óvulo e sangue da mãe na formação?”  (Aldaline Oliveira)

Aldaline, ter o vírus HIV não impedem nem um homem nem uma mulher de ter filhos. E a principal notícia para os soropositivos é que os bebês serão saudáveis se o casal seguir todas as regras existentes para que isso aconteça. As tecnologias atualmente disponíveis e recomendadas no Brasil são capazes de reduzir o risco de transmissão para menos de 1%.


Para aqueles casais que desejam ter filhos pelos métodos naturais, é importante não ter infecções genitais (como, por exemplo, DST), apresentar estabilidade imunológica, boa adesão ao tratamento e carga viral indetectável. Para os casais sorodiscordantes (quando um apenas é positivo para HIV) a orientação de método mais fácil e sem riscos é a autoinseminação. Para os casais soroconcordantes (quando os dois apresentam o vírus HIV no organismo), a orientação é que tenham relação sexual apenas em período fértil. Caso a mulher siga todas as orientações, faça o acompanhamento pré-natal, tome antirretrovirais durante a gestação e na hora do parto e não amamente o bebê após o nascimento (por cerca de 3 meses), reduzirá em até 99% o risco de transmissão do HIV.

Para os sorodiscordantes o tratamento é mais simples quando a mulher tem o vírus e o homem não. Basta inseminá-la com o esperma e acompanhar a gravidez com cuidado para evitar a transmissão do vírus ao feto, a chamada transmissão vertical. A mãe deve tomar o coquetel para Aids durante a gestação e ter um acompanhamento pré-natal adequado. Além disso, o mais indicado é que o bebê nasça de cesariana, receba a droga AZT nos primeiros três meses de vida e não seja amamentado pela mãe, pois o leite materno contém o HIV.

Bebe-Recem-Nascido1-600x360

Já quando quem é soropositivo é o pai o tratamento é outro. Por meio de um processo chamado de dupla lavagem de sêmen, é possível gerar um bebê saudável sem que a mãe seja infectada. A dupla lavagem de sêmen só pode ser feita se o homem estiver tomando o coquetel contra a Aids de forma correta, tiver um bom sistema imune e estiver com carga viral indetectável no sangue. A técnica funciona porque o espermatozoide é separado do sêmen, e um único é injetado dentro de um óvulo extraído da mulher. Posteriormente os embriões são colocados no útero. Como o HIV fica concentrado principalmente no sêmen e não no espermatozoide, o risco é praticamente zero. Até hoje não há relatos de casos que deram errado e a mulher foi contaminada.

Fontes: saberviver e revistaepoca Imagens: parapais

Novidades

Topo
error: Sinto muito! Conteúdo protegido.