Curiosidades

Os 7 medicamentos mais vendidos no Brasil. Veja se você faz uso de algum deles!

Muito usada pela sociedade, a automedicação é encarada de outra forma pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Saber o que fazer diante de problemas aparentemente simples pode desinflar os hospitais já saturados de pessoas. O problema é que a diferença entre “remédio” e “veneno” pode ser o mesmo princípio ativo em dosagens desproporcionais. De acordo com dados da Associação Brasileira de Indústrias Farmacêuticas (Abifarma), a automedicação mal realizada é responsável, no Brasil, pela morte de cerca de 20 mil pessoas por ano.

O uso exagerado de qualquer medicamento pode levar a riscos. Embora sejam benéficos quando usados corretamente, podem fazer mal ao paciente em determinadas circunstâncias. O lista abaixo desenvolvida pela Hipolabor, mostra quais são os medicamentos mais vendidos no Brasil.

1- Neosoro – Descongestionante nasal

neosoro

Em 2014, esse descongestionante nasal foi o medicamento mais vendido em volume no país, quase atingindo o incrível valor de 40 milhões de unidades. Os descongestionantes nasais possuem substâncias, no caso do neosoro trata-se do cloridrato de nafazolina, que agem estimulando o sistema simpático e promovendo a vasoconstrição. Isso reduz o edema da mucosa nasal e as secreções, aliviando o sintoma de congestão.

O uso desses medicamentos, é controverso já que após algumas horas há um efeito rebote do sistema parassimpático, que provoca a congestão novamente. O paciente acaba se perdendo nesse ciclo vicioso e utilizando o descongestionante o tempo todo.

2- Dorflex – Analgésico

dorflex

O dorflex já recebeu o primeiro lugar no ranking dos medicamentos mais vendidos em anos consecutivos e nunca deixa de estar entre o top 10. Um comprimido de dorflex possui 300mg de dipirona monoidratada, 35mg de citrato de orfenadrina e 50mg de cafeína anidra, lhe conferindo um grande poder analgésico e de combate à dor muscular e à cefaleia, duas queixas extremamente comuns na população.

3- Losartana – Controle da hipertensão

losartana

A losartana é o princípio ativo de um medicamento indicado para o tratamento da pressão alta e diminui a resistência dos vasos sanguíneos melhorando a circulação. Dessa forma a pressão arterial se mantêm estável, alcançando o seu efeito máximo de 3 a 6 semanas, após o início da toma do medicamento. Estudos científicos apontam que o Losartan quando utilizado em conjunto com a quimioterapia pode auxiliar no tratamento contra o câncer de mama e de pâncreas.

4- Sinvastatina – Controle de colesterol e triglicérides

sinvastatina

As estatinas são utilizadas para a redução de níveis de colesterol, LDL e triglicérides e para o aumento do HDL, sendo a sinvastatina o mais frequentemente prescrito. As dislipidemias são um grande fator de risco para doenças cardiovasculares, como infartos e acidentes vasculares encefálicos, e, quando controladas, acarretam a redução da mortalidade de pacientes com risco para essas condições. Muitas pessoas fazem uso deste medicamento para emagrecimento, no entanto, não existe nenhum estudo que comprove essa eficácia.

5- Neosaldina – Analgésico

neosaldina

Sempre entre os primeiros lugares também está a neosaldina, um dos medicamentos mais utilizados para dor de cabeça. Com isometepteno, dipirona sódica e cafeína, ela consegue estimular o sistema simpático, e agir de forma antiespamódica, analgésica, anti-inflamatória e vasoconstritora,  reduzindo a vasodilatação que gera a dor de cabeça. A cafeína ajuda também a aumentar os processos cerebrais, como a concentração e o raciocínio, e ajudar o paciente a realizar suas atividades diárias.

6- Rivotril – Ansiolítico

rivotril

Esse ansiolítico vem ascendendo na lista nos últimos anos. Embora seja um medicamento de tarja preta, o clonazepam (nome comercial: rivotril) conseguiu se tornar tão popular por ser um benzodiazepínico. Essa classe de medicamentos, que inclui também o diazepam, é altamente eficaz em combater sintomas ansiosos e a insônia e não parece gerar qualquer efeito colateral no curto prazo. No entanto, o uso desse medicamento leva à dependência, devendo ser feito pelo menor tempo possível e a longo prazo está associado a síndromes demenciais.

7- Puran T4 – Controle do hipotiroidismo

puran-t4

O puran T4, a levotiroxina sódica, é um medicamento de reposição hormonal para pacientes com hipotireoidismo. A dosagem desse medicamento pode varia de 25 a 200mcg e visa suprir as necessidades individuais sem provocar uma condição inversa de excesso de hormônios tireoidianos. O medicamento pode ser utilizado por pacientes de todas as idades e, inclusive, durante a gravidez.

Fonte: hipolabor/treinomestre/voxobjetiva  Imagens: farmadelivery/sanofi/iguaimix/luizpaulin/megaarquivo/pidefarma
Comentários

Novidades

Topo