Anomalias e doenças

Estudo indicam que remédios para dormir, como o Diazepam podem triplicar o risco de câncer nas vias aéreas





Medicamentos tranquilizantes tem sido usado por milhões de pessoas no mundo, o principal objetivo é principalmente conseguir dormir. Esses medicamentos são prescritos naquela receita azul que lembra a folha de um cheque. São os famosos tarjas-preta. Os médicos psiquiatras costumam indicar esse tipo de medicamento para combater a ansiedade e para provocar o sono, por isso, eles podem ser chamados também de ansiolíticos, hipnóticos, calmantes, tranquilizantes, mas no fundo são todos a mesma coisa.

Um estudo divulgado recentemente, que começou há 20 anos, indicou   o uso destas medicações está ligado a uma elevada taxa de tumores mortais, e isso pode triplicar o risco de câncer de pulmão, podendo ainda desencadear o desenvolvimento de câncer de boca, nariz e traqueia. Toda este estudo e análise de dados ainda não comprovou que os benzodiazepínicos (tranquilizantes populares) sejam cancerígenos. No entanto, os cientistas alertam que mais pesquisas são imprescindíveis para determinar se medicamentos atuais para dormir aumentam o risco de câncer


A pesquisa alertou que um em cada dez britânicos usam comprimidos para dormir, prescritos por médicos. Aqui no Brasil, também é grande o número de usuários, principalmente do diazepan, um dos calmantes mais usados no combate a insônia.

sonifero

O estudo

Uma equipe de médicos do Instituto Norueguês de Saúde Pública, avaliou os registros de milhares de trabalhadores do setor público que foram acompanhados durante 20 anos. Eles foram acompanhados quanto aos seus estilos de vida, incluindo padrões de sono e o uso de todos os tipos de pílulas para dormir e felizmente, os resultados mostraram apenas um pequeno aumento no risco de câncer. Mas, quando os cientistas analisaram os cânceres das vias respiratórias, os resultados foram preocupantes.

Soníferos estão associados a um grande número de infecções que podem consentir que as células cancerígenas se desenvolvam. Os cientistas perceberam que os resultados também podem ter sido afetados por taxas de tabagismo. No relatório disponibilizado pela equipe médica, diz que a ligação entre o uso de soníferos e um acréscimo nas chances de morte tem sido descrita em pelo menos 20 estudos. Mesmo com as pesquisas se concentrado em todas as causas de mortalidade, alguns estudos descobriram que estes remédios estão designadamente conexos com as mortes por câncer.

Mesmo com todas as indicações a Cancer Research UK alerta que não é pertinente tirar conclusões sobre os perigos do uso de remédios para dormir. Segundo Sarah Williams, gerente de informações de saúde da instituição, o melhor conselho para diminuir o risco de câncer permanece o mesmo: não fumar, ter uma dieta equilibrada, manter um peso saudável, reduzir o álcool, ser ativo e tomar do sol de forma segura.

Fonte: jornalciencia/dailymail  Imagens: fundafeng/
Comentários

Novidades

Topo