Comportamento

É possível um ser humano morrer de sono?

 “Minha dúvida é: Há possibilidade de um ser humano morrer de sono.” (Sabrina Santos)

Sabrina, sua dúvida é muito comum entre milhares de pessoas pelo mundo e a resposta é simples e prática: o ser humano pode sim morrer de sono. Vamos entender como isso é possível e compreender a importância biológica do nosso sono.


Dormir bem é necessário para ajudar o nosso corpo a recompor nossas energias e contribuir para enfrentar mais um longo dia de atividades intensas. Os pesquisadores já compreenderam que a privação do sono causa efeitos colaterais intensos que associados em longo prazo podem levar o ser humano a um colapso biológico e trazer sérios prejuízos a saúde mental e consequentemente afetar sua vida social. Pesquisas realizadas com privação de seis horas de sono por 14 dias consecutivos em seres humanos demonstraram que suas atividades cognitivas e motoras foram afetadas drasticamente durante o dia-a-dia.

A longo prazo, o acúmulo de sono pode trazer prejuízos ao coração, os pulmões, rins, afetar o metabolismo e o apetite, no controle de peso, no sistema imunológico, ou seja, as pessoas ficam mais sensíveis a infecções e doenças, além de afetar o humor e ter mais sensibilidade a dor. É claro que a privação total de sono não é muito documentada pelos pesquisadores, mas já se sabe que a redução de horas e seu acúmulo podem levar a um transtorno mental grave e com isso levar a morte.

superimagem-megacurioso-481722390007966550_mega

O psicoterapeuta John Schlapobersky juntamente com alguns participantes realizou uma pesquisa e ficaram sem dormir durante uma semana completa, ou seja, privação total do sono. Ele relatou que durante a pesquisa, em apenas dois dias sem dormir alucinações começaram a surgir, depois de três dias, sonhos acordados, era como se perdesse a noção do real e orientação do tempo e espaço, uma espécie de psicose. Todavia, existem pessoas que sofrem de uma doença rara e leva à morte que se chama Insônia Familiar Fatal (IFF), onde as pessoas são incapazes de dormir. A doença é rara e progride rapidamente, as pessoas que a possuem não sobrevivem mais do que 3 anos de vida e seus sintomas são: insônia, alucinações, sudorese e alterações na temperatura, perda completa do sono, perda de peso rápido, demência e falta de resposta e por fim a morte súbita.

Os cientistas têm a certeza de que a privação do sono por períodos prolongados afetam as funções mais importantes do nosso corpo, como pensar e respirar e principalmente prejudica o sistema imunológico deixando janelas abertas para infecções e doenças primárias. Portanto, dormir bem e ter uma noite mínima entre 7 e 8 horas de sono podem salvar sua vida e contribuir essencialmente para o bom funcionamento do seu metabolismo e manter sua vida saudável para realização das atividades diárias!

4817223903142011

Fontes: hypescience/veja/clicrbs Imagens: seriescuriosidades/ hypescience

⚠  ATENÇÃO:  Nosso novo site, especial para mulheres, já está no ar. Acesse Diário Mulher.



Comentários

Novidades

Topo