Anomalias e doenças

Isso é sério: Coisas de uso pessoal que você nunca deve compartilhar com NINGUÉM

Você vai dormir na casa de uma amiga e esquece a camisola. Pede uma emprestada. Aquele biquíni da prima é mais bonito e você pega para usar um dia. O amigo sujou a camiseta, você empresta. Foi dormir na casa do namorado e usou a escova de dentes dele. Pode parecer frescura, mas este compartilhar de roupas e objetos pessoais como, toalha, roupa íntima, alicate de cutícula etc. com outras pessoas oferece alguns riscos para a saúde.

 


1- Escova de dentes

escovar-os-dentes

Nossa boca abriga cerca de 500 espécies de bactérias e um único mL de saliva contém 100 milhões delas! A boca ganha em número de espécies até do intestino por ser mais complexa, principalmente devido à presença dos dentes. Além das bactérias, alguns fungos e vírus também são moradores da microbiota bucal. Esses habitantes não causam doenças em situações normais e sem eles teríamos problemas com bactérias patogênicas (causadoras de doenças). Porém, qualquer desequilíbrio na microbiota bucal pode levar ao crescimento indesejado de algum desses moradores, e aí sim começar uma doença. Quando beijamos alguém na boca, somos invadidos pelas bactérias, fungos e vírus presentes na boca da pessoa e assim podemos apresentar algumas dessas doenças por causa de um único beijo. O mesmo acontece ao usar a escova de dentes de outra pessoa, principalmente se você não beija essa pessoa na boca. Em casais a microbiota bucal é bastante similar devido aos beijos frequentes e mesmos hábitos alimentares, portanto o risco de ter alguma doença é menor, mas não deixa de existir e compartilhar escova de dentes não é recomendado.

 

2- Batom

passar-batom

Mulher não tem jeito. Compartilha mesmo o batom e podem confessar: muitas de vocês já usaram o batom de alguém que nunca viu ou emprestou os eu batom para uma desconhecida. Essa é uma prática comum entre as mulheres, compartilhar o batom com outra pessoa pode ser perigoso. Isso porque, ao ser emprestado, o batom leva com ele fungos, vírus e bactérias da pessoa que o utilizou da última vez para a outra, o que pode resultar na transmissão de doenças infecto-contagiosas. Quando um batom é emprestado, qualquer agente infeccioso pode ser transmitido de uma pessoa para a outra por meio da saliva deixada no produto. Entre as doenças causadas por esses agentes estão as infecções bacterianas, como a candidíase e a herpes labial, mononucleose e gengivites. No entanto, são as infecções causadas pelo vírus herpes, já que não há cura, e as infecções fúngicas as doenças de mais difícil tratamento. A dica dos infectologista é: cada um usa o seu!

 

3- Toalha

mulher-creme-perna

Compartilhar toalha e também assumir a responsabilidade para compartilhar ainda fungos e bactérias e para piorar, estudos recentes indicam que o vírus HPV é encontrado ainda vivo em sabonetes, vaso sanitário, em toalhas e, apesar de não ser possível determinar com exatidão seu poder de contaminação dessa forma, pode ser que ele fique frágil fora da célula, essa possibilidade existe. Muitos especialistas sugerem que é muito difícil um vírus ou bactéria sobreviver em uma toalha de banho. Na dúvida, o melhor é evitar compartilhar toalhas, até porque existem outros perigos, além do HPV, que não são apenas sexualmente transmissíveis, e podem ser transferidos pela toalha. Conjuntivite é um exemplo. A herpes, outro exemplo, é uma doença altamente contagiosa que se pega através do contato direto com a ferida da herpes de alguém, pelo beijo, no banheiro, pela roupa ou até mesmo pelo ar, no caso da herpes zóster. O contato com algum objeto infectado com o vírus é altamente contagioso na fase em que a ferida está cheia de líquido. Porém, alguém recentemente contaminado pode demorar anos para desenvolver os primeiros sintomas. Por isso, todo cuidado é pouco.

A toalha de rosto também pode acumular bactérias e fungos por ficar úmida por muito tempo e, além disso, como é usada por várias pessoas acaba tornando-se em um meio de transmissão desses micro-organismos.

4- Roupas

emprestar-roupas

O sistema imunológico do corpo humano tem seus mecanismos de defesa para se proteger dessas possíveis contaminações, mas é sempre bom prevenir. Não use roupas emprestadas a não ser em último caso. Além da inadequação, cada pessoa tem hábitos de higiene íntima e cuidados de forma diferente. Não é nada impossível que doenças possam ser transmitidas pelo uso de roupas alheias. Fungos e bactérias são passíveis de se encontrar em roupas, até nas bem cuidadas. De acordo com os infectologistas, se a pessoa tiver um quadro infeccioso como HPV, pode passar para a amiga embora seja raro de acontecer.

 

5- Alicate de unha

alicate-de-unha

Um alicate de unha, por exemplo, se não for bem higienizado, pode transmitir doenças, como hepatite e micose. Por isso, a dica é nunca compartilhá-los – é preciso também observar se no salão existe autoclave e se os produtos estão higienizados dentro de saquinhos; mas de qualquer maneira, a melhor proteção é sempre levar o próprio. Já o risco de se contaminar com o vírus da Aids é baixo, porque ele não resiste muito tempo vivo fora do corpo, no entanto, o risco existe.

Fonte: correiodeuberlandia/minhavida/donasdecasaanonimas/
 bolsademulher   Imagens: beautydisplay/ publinews/ todateen/ tudum/vidadedentista/ warosu
Comentários

Novidades

Topo
error: Sinto muito! Conteúdo protegido.