Incrível: abelhas conseguem ver coisas  invisíveis aos nossos olhos

O mês de setembro marca o começo da primavera no hemisfério sul e com ela ocorre o desabrochar das flores e, consequentemente, o aparecimento das abelhas. Diversos insetos e plantas possuem uma dependência muito forte chamado ‘mutualismo’, onde duas espécies interagem e existe benefício para ambas.

No caso da relação entre abelhas e plantas, as plantas se beneficiam por meio da polinização, já que elas não possuem a capacidade de se locomover para procurar parceiros para se reproduzir, as pequenas abelhas ficam incumbidas de carregar o pólen de flor em flor. Como nada nessa vida vem de graça, em troca desse serviço prestado, as flores oferecem às abelhas, o néctar – substância doce produzida por glândulas especiais das plantas. Mas a questão é: como é que as abelhas encontram flores? Bom, elas enxergam e sentem coisas que são invisíveis aos nossos olhos.

Cada animal possui uma maneira diferente de ver o mundo e isso não seria diferente com as abelhas. Enquanto nossos olhos enxergam somente alguns tipos de comprimento de onda, esses pequenos insetos tem a capacidade de ver em ultra-violeta com seus olhos compostos. Graças a essa capacidade de ver as coisas como se estivessem em luz negra, as abelhas conseguem ver onde exatamente ir nas flores, como pequenas pistas de pouso nas pétalas.

abelhas

Além de todo esse aparato visual, recentemente pesquisadores da Universidade de Bristol, no Reino Unido, descobriram uma ligação elétrica entre flores e abelhas. Sabe quando a gente esfrega uma bexiga no cabelo e ele fica arrepiado? Quando fazemos isso, nosso cabelo adquire uma carga negativa e o mesmo acontece com as abelhas quando estão voando. Durante o voo, várias partículas de poeira batem no seu minúsculo corpo, carregando a abelha negativamente. Por outro lado, as flores são levemente carregadas positivamente e, como a ciência já nos ensinou, os opostos se atraem. Devido a essa diferença elétrica, quando uma abelha chega perto de uma flor o pólen praticamente pula no inseto, facilitando o seu transporte.

Incrível, né? Já pensou quanta coisa passa despercebida aos nossos olhos?

Vídeo mostra simulação de como seria a visão de abelhas e borboletas