Comportamento

Durante um assalto em uma residência, bandido resolve fazer cocô e polícia identifica o ladrão através do DNA de suas fezes

Muitas pessoas acham que fezes e urina não têm DNA, pois são produtos da excreta do organismo. Mas, conforme o Diário de Biologia já publicou anteriormente, fezes e urina contêm células epiteliais que guardam material genético. Com cara de episódio de CSI, um bandido adentrou em uma casa em Belen, no estado do Novo México (EUA) para roubar armas de uma coleção herdada pelo proprietário através de gerações de sua família.

O dono da casa contou que o bandido ficou fumando pela casa. Além disso, o ladrão comeu e bebeu o que encontrou pela frente. No final, para marcar o território com louvor resolveu utilizar o banheiro para fazer o “número 2” e que apesar de ter dado descarga, deixou restos de fezes em exibição na privada.


Conforme a polícia, esse mesmo tipo de evidência havia sido encontrada em outros roubos registrados na região. Mas, daquela vez, os investigadores colheram as fezes do ladrão e mandaram para um laboratório para realizar exames de DNA. A polícia então descobriu que o bandido era um homem que se encontrava em liberdade condicional. As evidências foram usadas para ir atrás do ‘cagão” e usá-las em seu julgamento e incriminação.

limpar-vaso-sanitario-172864784

Fonte: g1.globo   Imagens: nomadesdigitais/martin

Comentários

Novidades

Topo