Animais

Conheça a ilha na Libéria habitada apenas por chimpanzés contaminados por doenças contagiosas e usados em experiências científicas

Existe uma ilha no meio de um rio, na Libéria, nas profundezas da floresta do oeste da África onde vivem mais de 60 chimpanzés todos infectados por doenças contagiosas. “A Ilha dos Macacos” é uma área habitada apenas por chimpanzés que um dia foram usados como cobaias de laboratório, mas sobreviveram às doenças e a duas guerras civis. Como parte do Instituto de Pesquisa Biomédica da Libéria, também conhecido como Vilab II, o laboratório produziu importantes descobertas em tratamentos diversos de doenças como a hepatite. O laboratório foi fechado em meados da década de 2000 devido à crescente pressão de ativistas dos direitos dos animais, e os macacos foram transferidos para essa ilha remota da Libéria no meio do rio Farmington para viver uma aposentadoria tranquila.

Se aproximando da ilha

Para se aproximar da ilha, não é possível descer do barco, pois ao perceberem a proximidade de humanos, eles ficam extremamente agressivos. A  única coisa que os chimpanzés tem medo é de água. Eles não nadam, apenas caminham na beira da água. Qualquer pessoa que se aproxima da ilha já ouve de longe os gritos afoitos dos chimpanzés, eles ficam superagressivos, arreganhando os dentes logo que veem um ser humano. Só se acalmam quando o visitante joga comida (frutas e legumes) na margem da ilha. Mas tudo isso sem descer do barco.

Em uma visita para gravar um documentário, o jornalista americano Kaj Larsen recrutou nativos da região para acompanhá-lo até a ilha. Logo de cara, o macho alfa quis atacar o barco e se irritou muito ao ver um homem branco. Mas Larsen havia levado pirulitos e os chimpanzés amam açúcar. Assim, foi fácil que o um branco fosse aceito, mesmo de longe.

ilha-dos-macacos3

Como foram parar ali

Instituto de Pesquisa Biomédica da Libéria, mais de 100 chimpanzés foram infectados de propósito com doenças infecciosas, na esperança de encontrar uma cura. Betsy Brotman, ex-diretora do laboratório explicou que a Libéria foi escolhida por sua grande população de chimpanzés. “Um monte de pessoas tinha chimpanzés de estimação”, revelou Betsy. “E quando eles passam uma certa idade, cerca de cinco anos, não são muito bons como animais de estimação. E é assim que adquirimos os nossos animais, até que tivemos alguns com idade fértil o suficiente”.

Eles são a única espécie sensível para a hepatite”, completou o Dr. Preston Marx, virologista que trabalhou no instituto. “Uma vez que um chimpanzé ficava hepatite positivo, precisávamos de mais animais que não tinham sido utilizados em experiências”.

Então os demais começaram a ser liberados para estas ilhas. A razão pela qual eles poderiam fazer isso é porque os chimpanzés não sabem nadar. Seis ilhas viraram casas de chimpanzés.

ilha dos macacos

Assista ao documentário, são 16 minutos, mas vale a pena!

Fonte: odditycentral/motherboard/youtube     Imagens: publico/ jornalciencia
Comentários

Novidades

Topo