Curiosidades

5 maneiras de um raio atingir uma pessoa e outras curiosidades



Quem nunca ouviu histórias sobre vítimas de raios? O Brasil é o país com mais incidência de raios no mundo, devido ao clima quente que favorece a formação de tempestades e de raios. Aqui caem cerca de 50 milhões de raios por ano! O que nos traz estatísticas de dar medo: de cada 50 mortes causadas por raios no mundo, uma ocorre no Brasil. A maioria das vítimas brasileiras foram homens que estavam realizando alguma atividade rural.

No mapa abaixo podemos ver as regiões do Brasil com maior (em amarelo, laranja e vermelho) e menor (em rosa e azul) incidência de raios. Podemos ver que um local pode ser atingido mais de uma vez por raios. A cidade com mais relâmpagos é Porto Real, no Rio de Janeiro. Mas Manaus, uma das cidades onde mais caem raios, é a cidade com mais vítimas fatais.


Mas nem todas as vítimas de raios foram atingidas em cheio por eles. Um raio gera uma descarga elétrica com intensidade típica de 30 mil Ampères, aproximadamente mil vezes a intensidade de um chuveiro elétrico, e potência de 300 kWh (o consumo mensal de uma casa pequena). O aquecimento do ar causado pela descarga elétrica de um raio é de quase 30000ºC, o que representa seis vezes a temperatura da superfície do sol (e é isso que produz o clarão do raio). Com tanta energia, uma pessoa não precisa levar um raio na cabeça para sofrer algum dano. Existem, basicamente, cinco maneiras de uma pessoa ser atingida por uma descarga elétrica provocada por um raio. Todas elas podem causar uma parada cardiorrespiratória e levar a morte.

raio

  1. Descarga direta (Direct Strike)

Essa é a maneira mais óbvia: o raio acertando em cheio a vítima. Não é a forma mais comum, mas é a mais mortal. Pode carbonizar a pessoa. Nesse caso, a pessoa torna-se parte do principal canal da descarga elétrica. Geralmente, isso acontece em campos abertos e a vítima é um canal que encurta a distancia entre as cargas elétricas presentes no solo e na nuvem.

  1. Descarga indireta lateral (Side Flash)

Ocorre principalmente quando uma pessoa se abriga embaixo de árvores. O raio atinge um objeto alto (como a árvore) e a energia que flui por ele pode buscar mais um caminho para chegar ao solo. Assim o raio bifurca-se e atinge o corpo de pessoas e outros animais próximos, fechando um “curto circuito”.

  1. Descarga indireta através do solo ou tensão de passo (Ground Current)

Quando um raio atinge o solo, uma grande quantidade de energia é dissipada através dele, resultando em uma corrente elétrica. Essa corrente entra no corpo de uma pessoa ou animal através do pé mais próximo do ponto em que o raio caiu, percorre o corpo e sai pela outra perna. Quanto maior a distância entre o ponto de entrada e o ponto de saída, maior a tensão causada e maior o dano. Por isso animais grandes, como o gado, são particularmente mais propensos a sofrerem danos maiores.

  1. Descarga indireta por condução (Conduction)

Um raio pode viajar grandes distâncias através de superfícies metálicas por serem excelentes condutores. Por isso essa é uma das formas que mais causa acidentes. Seja dentro ou fora de um abrigo, mantenha-se longe de qualquer coisa que seja conectada com fios, canos metálicos ou qualquer outra superfície metálica que se estenda para fora do abrigo. Isso inclui telefones com fio.

  1. Descarga indireta através de líder de junção (Streamers)

Quando um raio está se formando, ele gera um potencial de energia entre a nuvem e a superfície terrestre. Isso causa o surgimento de vários “Streamers”, que são como “pequenos braços de raio” ou faíscas que saem da superfície do solo em direção à nuvem, tentando se ligar à nuvem carregada para fechar o circuito. Geralmente apenas um desses “braços” é atingido pela carga que vem da nuvem e forma o raio. Apesar de ser difícil de acontecer, uma dessas faíscas de energia pode fluir do solo para o corpo de uma pessoa, causando ferimentos e podendo levar à morte. Se o raio se concretiza através do Streamer que passou pela pessoa (isso acontece muito rápido) ocorre a primeira forma que descrevemos aqui: a descarga direta.

Como saber se o raio caiu perto?

Vemos a luz produzida pelo raio chega quase imediatamente ao acontecimento, porém o trovão é escutado alguns segundos depois. Isso acontece por que a velocidade da luz é maior que a do som. Uma forma de se estimar a distância entre você e o ponto de queda do raio, em quilômetros, é contar o tempo (em segundos) entre o momento em que se vê o raio e se escuta o trovão. Depois basta dividir esse tempo por três.

Melhor que saber onde o raio caiu é saber como se proteger de um. O Grupo de Eletricidade Atmosférica (ELAT) listou uma série de cuidados que devem ser tomados a fim de se evitar acidentes com raios. A lista pode ser acessada aqui.

maxresdefault

Fontes: lightningsafety/inpe    Imagens: inpe/youtube

Novidades

Topo
error: Sinto muito! Conteúdo protegido.