Comportamento

Manipulação genital causa espinhas?

Manipulação genital causa espinhas?
Esse texto foi informativo para você?

“Queria saber se é verdade que manipulação genital causa espinhas nos meninos… E se é verdade que um menino com muitas espinhas está fazendo isso todo dia.” Douglas

Douglas, manipulação genital não causa espinhas… também não causa esterilidade, não leva à dificuldade de ereção, não causa cegueira, não faz crescer pelos nas mãos, não leva à loucura. Tudo isso é mito! Todas essas crenças surgiram a muito tempo, quando a manipulação genital era uma prática condenável. A sociedade criou “historinhas” para evitar que as pessoas, principalmente os meninos durante a puberdade praticasse manipulação genital associando o prazer ao aspecto moral da culpa. Mas a verdade é que não existem comprovações científicas de que seja uma prática que faça mal à saúde.


No caso dos meninos, estimular o órgão genital com as mãos fazendo muita pressão pode deixar seu órgão dolorido, ou mesmo gerar alguns machucados que, em poucos dias, desaparecerão. As meninas devem se cuidar para que não utilizem objetos que machuquem a região da genital. A manipulação genital é uma forma de satisfação sexual fisicamente solitária. Este fato é o único elemento que difere da satisfação sexual com outra pessoa. Desta forma, assim como a relação sexual com parceiro, não existem contraindicações para a manipulação genital.

Não tem como ninguém no mundo saber se você  está fazendo isso. A prática não deixa nenhuma “sequela”, nenhuma marca que possa ser reconhecida por outras pessoas. Não importa quantas espinhas você tenha no rosto, não há como ninguém saber se você se manipulou sua genitália ontem à noite ou qualquer outro dia. Também não existe uma quantidade de vezes ‘normal’ de se fazer isso. Cada caso é único. É importante perceber se a prática não está se tornando algo compulsivo, a ponto de a pessoa parar de ter vida social ou só conseguir pensar nisso. Nestes casos, pode ser interessante procurar um médico.

espinha

Fonte: Ciência e Saúde – G1

Comentários

Novidades

Topo