Animais

Cientistas descobrem os primeiros animais comprovadamente canhotos: os cangurus!

Muitas horas de observação dos cientistas na selva mostraram que os cangurus tendem a usar mais frequentemente o membro esquerdo para tarefas cotidianas, como catação e alimentação. Essa é a primeira constatação de uma certa preferência manual em uma espécie não-humana. Os seres humanos são preferencialmente destros em sua maioria.

Duas espécies de cangurus e uma de wallaby (outra espécie de marsupial) demonstraram o uso das patas esquerdas durante as observações, o que não foi visto em outras espécies de animais quadrúpedes.


Essas observações são de extrema importância para contribuir em estudos de simetria dos cérebros e de evolução dos mamíferos. Outros estudos com animais também podem ser importantes para explicar a preferência manual, como o manuseio do alimento por papagaios e como os cães dão a pata, mas ainda precisam ser comprovados a nível populacional para serem significativos.

Estudos como esse podem provar a teoria da evolução paralela, em que a tendência de usar um membro em vez de outro surgiu nos primatas (placentários) e de acordo com esse novo estudo, nos marsupiais, mas não em animais próximos dos dois ramos da árvore evolutiva.

A preferência por usar o membro esquerdo foi observada em animais que ficam em pé sobre as patas traseiras, usando os membros dianteiros para outras tarefas, e não para andar, comprovando que a postura ereta também tem um papel importante durante esse processo.

red_kangaroo

Duas espécies de cangurus e uma de wallaby (outra espécie de marsupial) demonstraram o uso das patas esquerdas durante as observações, o que não foi visto em outras espécies de animais quadrúpedes. Foto: Reprodução/amazingcreaturs

Ainda não se sabe se há características específicas dos cérebros desses marsupiais que tenham contribuído para a tendência de usar o membro esquerdo, e se esses fatores podem explicar porque os cangurus são na sua maioria canhotos, ao contrário dos humanos.

Kangaroo-australia-32220289-1920-1200

Essas observações são de extrema importância para contribuir em estudos de simetria dos cérebros e de evolução dos mamíferos. Foto: Reprodução/flickr

Fonte: folha


Novidades

Topo