Anomalias e doenças

Cientistas podem ter encontrado a cura para a cegueira, revertendo a degradação das células da retina

Muitas pessoas são afetadas pela cegueira hereditária (transmitida por herança, de pai para filho, por exemplo) uma doença que leva a perda de visão ao decorrer da vida. Os cientistas dizem ter encontrado agora um modo de reverter esta degradação, pois conseguiram em laboratório, restaurar de forma parcial a visão de ratos. Essa descoberta poderia ajudar na restauração deste problema, que chega a atingir uma a cada 300 pessoas. O tratamento tem foco em algo conhecido como cegueira degenerativa progressiva, que causa degradação nas células sensíveis à luz encontrada nos olhos.

A pesquisa que foi realizada por cientistas da Universidade de Berna, na Suíça, e da Universidade de Goettingen, na Alemanha, poderia ajudar pessoas que sofrem de várias condições, entre elas retinose pigmentar (doença hereditária, que causa a degeneração da retina, região do fundo do olho humano), degeneração macular (doença que resulta em uma perda de visão no centro do campo visual, chamado mácula, devido a danos na retina) e retinopatia diabética (complicação que ocorre quando o excesso de glicose no sangue danifica os vasos sanguíneos dentro da retina).


 O tratamento seria feito utilizando um processo chamado optogenética, que envolve o uso de luz para realizar o controle dos neurônios. Através da introdução celular de proteínas sensíveis à luz, com nome de Opto-mGluR6, que sobrevivem na retina, mesmo degradadas. Os cientistas conseguiram restaurar a capacidade de visão dessas células.

Os ratos que sofriam com cegueira degenerativa progressiva, e que já não eram mais capazes de ver, tiveram sua visão recuperada à luz do dia. O grupo acredita que os mesmos resultados sejam possíveis, se replicados em seres humanos.

celula_tronco_olho

As novas proteínas são colocadas no olho para fazer com que as células velhas se tornem fotorreceptoras (sensíveis a luz), permitindo assim processá-las. Fazendo o uso de caminhos de sinalização existentes, eles foram capazes de ativar o córtex visual do cérebro e analisar sinais visuais. Antes do método, os ratos cegos não foram capazes de encontrar uma plataforma, ao serem colocados em baixo d’água. Depois, eles diretamente nadaram até o local, sem nenhuma dificuldade.

A nova terapia pode, potencialmente, restaurar a visão em pacientes que sofrem de qualquer tipo de degeneração de fotorreceptores“, declarou Sonja Kleinlogel, da Universidade de Bern, coautora do estudo. “Isso poderia ajudar aqueles que sofrem de formas graves de degeneração macular relacionadas à idade, uma doença muito comum que afeta, até certo ponto, cerca de uma em cada 10 pessoas com mais de 65 anos”, completou.

raios-de-luz-olho-visão

Fonte: dailymail/jornalciencia  Imagem: hna/
oftalmologistabh/daniel-elo

⚠  ATENÇÃO:  Nosso novo site, especial para mulheres, já está no ar. Acesse Diário Mulher.



Novidades

Topo