Livros de colorir para adultos realmente relaxam?

“Minha mulher está completamente viciada em livros de colorir para adultos. Ela só pensa nisso agora. Pergunto a equipe do Diário de Biologia: esses livros realmente relaxam?” (Ivan Mendes)

Livros de colorir estão dentre um dos mais vendidos e já existem milhares disponíveis. Há uma questão, que diz que estes livros funcionam como uma válvula de escape para rotinas estressantes, trabalhando como uma espécie de “detox”.

De alguma forma os especialistas acreditam que adultos colorindo livros é realmente uma atividade que causa um bem-estar e ao se concentrar em colorir usando as cores que quiser, a pessoa de parece de fato esquecer os problemas do dia.

Estudiosos garantem que a satisfação por completar a pintura e a sensação de orgulho ao perceber o quanto ficou bonita também é outra explicação possível, já que os livros ativam o circuito de recompensa do cérebro, o sistema responsável pela sensação de prazer. Quando excitado, ele libera dopamina, um neurotransmissor que provoca uma boa sensação. Tudo o que envolve trabalho manual ou arte também estimula a criatividade e a concentração. Ao trabalhar com cores, o resultado é ainda melhor, já que elas podem provocar diversas sensações, como calor, frio e tranquilidade.

Estudiosos garantem que a satisfação por completar a pintura e a sensação de orgulho ao perceber o quanto ficou bonita também é outra explicação possível, já que os livros ativam o circuito de recompensa do cérebro, o sistema responsável pela sensação de prazer. Foto: Reprodução/pioneiro
Estudiosos garantem que a satisfação por completar a pintura e a sensação de orgulho ao perceber o quanto ficou bonita também é outra explicação possível, já que os livros ativam o circuito de recompensa do cérebro, o sistema responsável pela sensação de prazer. Foto: Reprodução/pioneiro

Em resumo, ao notar que a pintura ficou bonita, nosso sistema límbico do cérebro é ativado. Ele é responsável pelo controle de nossas emoções e tem papel importante na regulação do stress. Dentro desse sistema, uma parte específica é responsável por proporcionar sensações de prazer: o circuito de recompensa.  Como não há contato físico entre os neurônios, os impulsos precisam de uma “ajudinha” para ser transmitidos de uma célula para outra. Essa ajuda é a dopamina, um neurotransmissor que transforma o impulso elétrico em sinal químico, possibilitando a transmissão. É a liberação da dopamina que causa a sensação de prazer.

O circuito de recompensa. começa na área tegmentar ventral (a), que transmite impulsos elétricos para o núcleo accumbens (b), parte central do circuito de recompensa. De lá, os impulsos seguem para o córtex pré-frontal (c), a parte responsável pelo planejamento de atividades. Foto: Reprodução/galileu
O circuito de recompensa. começa na área tegmentar ventral (a), que transmite impulsos elétricos para o núcleo accumbens (b), parte central do circuito de recompensa. De lá, os impulsos seguem para o córtex pré-frontal (c), a parte responsável pelo planejamento de atividades. Foto: Reprodução/galileu

Fonte: Galileu