Animais

A vida sexual das hienas vai deixar você traumatizado para sempre!

“Já li muitas matérias falando sobre a sexualidade da Hiena fêmea, mais nunca foi mostrado, pois estou curioso e gostaria de matar essa curiosidade!” (Renato Andrade)

Renato, você não tem ideia de como é difícil escrever sobre a vida sexual das hienas de uma forma que o Google não considere inapropriado… Mas vamos lá.


As hienas tem tantas peculiaridades que tudo que for dito aqui vai soar como estranho. Para começar, são animais carnívoros e grandes predadores de leões e além disso, são coprófagas (comem cocô). Diferente da maioria dos outros animais mamíferos, são as fêmeas que são dominantes em seus bandos. Até seu corpo é maior com mais de seis quilos. No geral, são os machos que são de maior porte, como no caso dos gatos, leões e tigres. É difícil diferenciar as hienas macho e fêmea apenas olhando ao longe porque são semelhantes demais.

Mas o que deixa todo mundo intrigado é sem dúvida a vida sexual destes animais. As fêmeas tem um kleitorís (em grego) peniforme que pode medir até 18 cm para fora do corpo e muito, mas muito semelhante ao órgão genital dos machos. Por causa disso, durante muito tempo considerou-se que esses animais eram hermafroditas (com os dois sexos), porém, hoje sabe-se que existem dois sexos sim. Durante pré-cópula , quando o kleitorís  peniforme está projetado para fora do corpo não, é possível diferenciar quem é o macho e quem é a fêmea. Para que o acasalamento aconteça o macho precisa tem muita calma e precisão para conseguir consumar o fato, pois, ele precisa introduzir o ser aparelho genital dentro do orifício do kleitorís que muitas vezes é maior do que o próprio. Esse momento do acasalamento pode demorar horas, uma vez que, não deve ser nada fácil “introduzir um canudo dentro de outro canudo”.

tumblr_inline_mruk6gqkam1r577c9

As fêmeas tem um kleitorís (em grego) peniforme que pode medir até 18 cm para fora do corpo e muito, mas muito semelhante ao órgão genital dos machos. Foto: Reprodução/imgur

O sofrimento não fica somente por conta do macho. Como o órgão genital masculino é todo coberto por espinhos, as fêmeas passam por uma situação de extremo desconforto e dor durante a cópula. Por causa dessa cópula traumática muitas fêmeas se limitam a acasalar apenas uma vez na vida.

E não termina por aí, a gestação que dura em médica 110 dias termina de forma assustadora: o feto precisa nascer saindo pelo orifício do kleitorís peniforme que é mais longo do que uma genitália masculina. Imagine isso?

fossa-masc-photo-from-hawkins

Durante a cópula, quando o kleitorís peniforme está projetado para fora do corpo não, é possível diferenciar quem é o macho e quem é a fêmea. Para que o acasalamento aconteça o macho precisa tem muita calma e precisão para conseguir consumar o fato, pois, ele precisa introduzir o ser aparelho genital dentro do orifício do kleitorís que muitas vezes é maior do que o próprio. Foto: Reprodução/photobucket

hyena_genitals

Imagem mostra todo aparelho reprodutor de uma hiena fêmea . Foto: Reprodução/muton

shepenis

E não termina por aí, a gestação que dura em médica 110 dias termina de forma assustadora: o feto precisa nascer saindo pelo orifício do kleitorís peniforme que é mais longo do que uma genitália masculina. Foto: Reprodução/ lesfelin

Fonte: mdig e livescience

⚠  ATENÇÃO:  Nosso novo site, especial para mulheres, já está no ar. Acesse Diário Mulher.



Novidades

Topo