O que é doença do pano-branco?

“Olá, gostaria de saber sobre a doença do pano-branco. Qual a profilaxia, transmissão e tratamento?” Nayara Dias

Nayara, a doença pano-branco ou micose de praia, é conhecida no meio científico pelo nome pitiríase versicolor. Trata-se de uma micose superficial, causada pelo fungo Malassezia furfur, que geralmente não apresentam sintomas, porém, quando os apresentam, costumam ser lesão do tipo hipo ou hiperpigmentada. Por isso, tem o nome de versicolor. Costuma acometer áreas como: tórax, abdome, pescoço e face, porém, pode acometer outras áreas com menos frequência, tais como: axilas, virilhas e coxas.

Essa doença é prevalente em zonas tropicais e subtropicais, geralmente ocorrendo em adolescentes e adultos. O fungo causador faz parte da nossa microbiota normal da pele, apresenta-se em duas formas: leveduriforme (não causa danos ao hospedeiro) e forma filamentosa, tornando-se patogênica.

Por estar presente na pele de todas as pessoas, o fungo só começa a causar problemas quando ele se prolifera e cresce exageradamente. Existem alguns fatores de risco, como: clima quente e úmido, pele oleosa, sistema imunológico enfraquecido, dentre outros. Para quem já teve essa doença, medidas profiláticas, como evitar exposição prolongada ao sol e uso diário de medicamento receitado pelo médico, são necessárias. Mas cada caso é um caso, converse com um médico.

pano
Trata-se de uma micose superficial, causada pelo fungo Malassezia furfur, que geralmente não apresentam sintomas, porém, quando os apresentam, costumam ser lesão do tipo hipo ou hiperpigmentada. Por isso, tem o nome de versicolor. Foto: guiaexclusivohost

Costuma responder bem ao uso de medicamentos de aplicação local. Quando o paciente tem dificuldade em manter essa forma de tratamento, há possibilidade do mesmo fazer uso oral do medicamento. Também é necessário o uso de xampus e sabonetes especiais. Caso uma pessoa apresente manchas pelo corpo, especialmente na parte superior do tronco, é aconselhável consultar um dermatologista, médico responsável pela saúde da pele.

i773
Costuma responder bem ao uso de medicamentos de aplicação local. Quando o paciente tem dificuldade em manter essa forma de tratamento, há possibilidade do mesmo fazer uso oral do medicamento. Foto: molig

Fonte: drauziovarella e Trabulsi, L. R. & Alterthum, F. MICROBIOLOGIA. 4ª. ed – Atheneu, 2004.

Este texto é de autoria do Biólogo Paulo Alex