Anomalias e doenças

Mulher foi ao hospital com tosse e médicos encontraram um preservativo preso no pulmão há 6 meses

Nas emergências médicas é muito comum que pessoas, principalmente crianças,  apareçam com inalação acidental de objetos diversos (pequenas peças de plástico, parafusos, agulhas, etc.). É comum em muitos casos que alguns pacientes não sintam nenhum sintoma ou complicações imediatas, tais como asfixia, respiração ofegante, tosse e outros. No entanto, Dr. CL Arya e colaboradores publicaram um caso bastante diferente no Journal of Chest Diseases and Allied Sciences (IJCDAS), quando descobriu-se que uma mulher tinha um preservativo no pulmão.

O caso, aconteceu com uma professora indiana de 27 anos, que por um período de seis meses vinha relatando tosse persistente com liberação de muco, indicando que estava com uma pneumonia grave. Após todos os exames, as radiografias mostravam uma lesão não homogênea no lobo superior direito. Os médicos receitaram antibióticos durante longos 4 meses sem qualquer alívio sintomático.


Uma segunda radiografia, mostrou uma região colapsada no mesmo lobo direito e a opacidade levou a realizar prontamente uma vídeo-bronscopia, que mostrou um objeto branco membranoso acima dos brônquios do lobo superior. Outro exame mostrou que o objeto era um saco invertido que foi removido com uma pinça de biopsia. A surpresa foi grande quando os médicos se depararam com um preservativo, ou seja, uma camisinha.

Capturar

Dr. CL Arya e colaboradores publicaram um caso bastante diferente no Journal of Chest Diseases and Allied Sciences (IJCDAS), quando descobriu-se que uma mulher tinha uma camisinha no pulmão. Foto: artigo

Somente depois que o preservativo foi tirado do pulmão é que a mulher e marido assumiram que há 6 meses haviam passado por um incidente quem que o preservativo havia soltado do órgão genital durante uma prática oral. A mulher teve uma ataque de tosse mas não conseguiu expelir o objeto, assim, como não sentiu mais nada, achou que o preservativo tinha ido para o estômago e dali sairia durante a evacuação.

Os médicos alertaram que o episódio (acontecido em 2001) poderia ter matado a mulher e que ele teve muita sorte!

condon

Somente depois que o preservativo foi tirado do pulmão é que a mulher e marido assumiram que há 6 meses haviam passado por um incidente quem que o preservativo havia soltado do órgão genital durante um sexo oral. Foto: pixshark

 

Fonte: drmarkgriffiths e medind

Novidades

Topo