Curiosidades

As pessoas com olhos claros tem as pupilas menores do que as pessoas que com olhos escuros?

É verdade que  pessoas com olhos claros (azul, verde) tem as pupilas menores do que as pessoas que tem olhos escuros? (Débora Santiago)

Nos seres humanos, assim como em outros animais, existe uma variação de cores mais claras ou mais escuras nos olhos, ou melhor, na íris. É ela a responsável por apresentar as cores em nossos olhos, azuis, verdes, castanhos.


No entanto, apesar dessa variação a estrutura do olho é a mesma, independente da cor destes, isso inclui as pupilas. E o que são as pupilas? A pupila está localizada no centro da íris e tem a aparência de um buraco negro que atua como uma abertura da câmara, permitindo que a luz entre no olho.  Ajustando o controle do fluxo de luz para dentro do olho. Em condições de iluminação intensa, a pupila se fecha para baixo, reduzindo a quantidade de luz que entra no olho e proteger os nervos delicados de serem danificados. No escuro, o inverso acontece para permitir que a luz que há para entrar no olho.

Se não existe diferença, então por que algumas pessoas acreditam que a pupila muda de acordo com a coloração da íris? Isso acontece porque quanto mais clara a cor dos olhos, mais perceptível a pupila fica, diferentemente de olhos mais escuros, onde não conseguimos distinguir bem a íris e a pupila.

Apesar da estrutura do olho não variar, existe algumas outras diferenças que estão relacionadas às cores. Pessoas com olhos mais claros são mais sensíveis a luz. Uma pesquisa realizada na Universidade do Colorado, descobriu uma relação da coloração dos olhos com doenças de pele, em que, pessoas de olhos azuis correm menos risco de ter vitiligo e  as com olhos castanhos tem menor probabilidade de desenvolver melanoma.

Farbverlauf_Augenfarben

Apesar da estrutura do olho não variar, existe algumas outras diferenças que estão relacionadas às cores. Pessoas com olhos mais claros são mais sensíveis a luz. Foto: wikipedia

Fontes: visionexpressg1 e saudevisual

Este texto é de autoria da Bióloga Nayara Castro


Novidades

Topo