Animais

Como, quando e por que o vírus da Aids se espalhou pelo mundo?



Atualmente, cerca de 75 milhões de pessoas estão infectadas pelo vírus da Aids e até agora não se sabia ao certo como a doença de alastrou pelo mundo. A novidade é que uma equipe de cientistas do Reino Unido e Bélgica fizeram a reconstrução histórico genético do HIV-1 grupo M, doença que tem causado grande transtorno mundial. A pesquisa revelou que a doença teve sua origem em Kinshasa, capital da República Democrática do Congo, entre os anos de 1909 e 1930 e também explicou os fatores que a tornaram uma pandemia

O estudo utilizou pela primeira vez todas as evidências disponíveis e através da técnica filogeográfica, foi possível fazer uma estimativa estatística, no qual se busca a procedência do vírus dando maior certeza de onde e quando a pandemia do HIV se originou. Com o ponto de origem identificado, os cientistas foram capazes de compará-los com dados históricos confirmando assim, que sua propagação ocorreu a partir de Kinshasa seguindo um padrão previsível. A filogeografia é a análise dos eventos históricos que podem ser responsáveis pela distribuição geográfica contemporânea de indivíduos, no caso, o vírus HIV. Isto é possível considerando a distribuição geográfica seguindo os padrões numa genealogia genética.


Os cientistas também descobriram quais fatores favoreceram o vírus a se tornar uma pandemia. Como já se estimava, o HIV realmente foi transferido de macacos e símios para humanos a partir de um vírus conhecido como SIV presente no sistema imunológico de alguns macacos como os chimpanzés. O SIV não deixa os macacos doentes, mas tem alta capacidade de mutação, o que levou a origem do HIV que causa a Aids. É provável que a transmissão dos macacos para seres humanos se deu nas tribos da região do Congo, onde é comum a caça de domesticação de chimpanzés e macacos-verdes. Acredita-se que humanos mantiveram relações de zoofilia com estes animais, o que desencadeou uma mutação do vírus. Teorias anteriores sugeriram que talvez o HIV-1 grupo M era geneticamente diferente de outras cepas de HIV, ou que o crescimento demográfico pode ter desempenhado um papel na sua propagação, o que mostra que a pandemia entre os humanos não foi um evento isolado.

chimpanze_triste

É provável que a transmissão dos macacos para seres humanos se deu nas tribos da região do Congo, onde é comum a caça de domesticação de chimpanzés e macacos-verdes. Acredita-se que humanos mantiveram relações de zoofilia com estes animais, o que desencadeou uma mutação do vírus. Foto: ndig

Os pesquisadores descobriram que houve, de fato, uma “tempestade” de fatores levaram a este evento especial desencadeando a pandemia global que enfrentamos até o presente momento. Esses fatores incluem o crescimento urbano, fortes ligações ferroviárias em toda a República Democrática do Congo, iniciativas de saúde pública que levaram ao uso inseguro de agulhas e modificações no comércio sexual. Tais acontecimentos favoreceram a disseminação do vírus rapidamente por toda a República Democrática do Congo e posteriormente para outros continentes.

A equipe investiga mais profundamente a evolução da cepa pandêmica HIV e sua relação com outras doenças, a fim de encontrar mais uma visão de como o vírus conseguiu se espalhar tão rápido. Mas eles estão confiantes de que esses estudos dão uma sólida compreensão de sua origem e os fatores infelizes que levaram a sua propagação.

2013-593994642-42-24897663_20130305GLOBO

Imagem de microscópio mostra o vírus da Aids deixando uma célula infectada: estudo sugere que pandemia mundial de HIV começou em Kinshasa, na África. Foto: oglobo

Fonte: sciencealert

Este texto é de autoria do Biólogo Paulo Alex

 

Novidades

Topo
error: Sinto muito! Conteúdo protegido.