Curiosidades

Gasolina e Diesel podem ser substituídos por bactérias do intestino humano



Seu próximo carro movido a bactérias! Escherichia coli poderá ser usada como fonte de combustível para veículos

Já imaginou seu próximo veículo utilizando bactérias como fonte de energia? Não? Mas essa realidade pode estar mais próxima do que imaginamos. Essa pesquisa está em um estágio muito precoce e o estudo busca um método para a produção de um combustível renovável, que anteriormente, só era acessível a partir de reservas fósseis.


Quando o assunto é natureza, devemos observar atentamente com olhos de águia, pois tudo pode ser reaproveitável. Inclusive micro-organismos que são responsáveis por doenças, podem ser utilizadas ao nosso benefício e foi com esse olhar atento que os cientistas descobriram como utilizar a bactéria Escherichia coli (encontradas no intestino humano), como fonte de combustível.

Esse micro-organismo, muitas vezes por trás dos ataques de diarreia, ajudou a criar o gás propano é algumas vezes derivado de outros produtos do petróleo, durante processamento de óleo ou gás natural. Os pesquisadores acrescentaram três enzimas a esta bactéria e isso lhes permitiu extrair o ácido butírico, um composto essencial para a produção de mau cheiro de propano. Esses ‘ingredientes’ poderiam levar a um combustível que utiliza o sol para convertê-lo numa forma utilizável. Os cientistas afirmam uma produção em maior escala será possível entre cinco e dez anos.

Inicialmente a produção de combustíveis renováveis vem para complementar os já existentes e, posteriormente, substituir os combustíveis fósseis, como diesel, gasolina, gás natural e combustível de aviação.

1409671898453_wps_16_12_Jun_2013_Group_of_Esch

Os cientistas descobriram uma forma de usar a bactéria intestinal E. coli (foto) – muitas vezes por trás dos ataques de diarréia – para ajudar a gerar gás propano – uma parte do gás de petróleo amplamente usado como combustível. Foto: Reprodução/dailymail

Fonte: dailymail     Este texto é de autoria do Biólogo Paulo Alex

Novidades

Topo
error: Sinto muito! Conteúdo protegido.