Animais

Turismo sem-noção? Zoo argentino parece dopar os animais para que pessoas possam entrar em suas jaulas

Dizem que o Zoológico Zoo Lujan, localizado a 75 km de Buenos Aires da Argentina é visitado na maioria por brasileiros e que os tratos com os animais selvagens (Leões, tigres, onças, elefantes, etc…) são duvidosos. Isso porque, muitos dizem (inclusive muitos argentinos) que os funcionários do zoológico matizam a água e alimentos dos animais com altas doses de tranquilizantes e que os bichos estão sempre dopados.

A causa desta covardia (que não é confirmada) é que as pessoas podem entrar nas jaulas de leões, tigres, elefantes, leopardos e tocar nesses animais, alimentá-los e brincar com eles. Sabemos que animais selvagens não permitem este tipo de abordagem, são sempre arredios, desconfiados e jamais deixariam um humano deitar sobre ele ou arreganhar suas bocas, como aparece em algumas fotos. Ao que parece, estes animais vivem mesmo à base de tranquilizantes fortíssimos para permitirem um contato tão próximos com desconhecidos. Às vezes várias pessoas entram em uma jaula e os animais se quer tem forças para ficarem de pé.


Quem já visitou, conta que o zoológico é um grande campo com poucas árvores (um sofrimento nos dias de calor) e muita terra batida (um sofrimento nos dias de chuva). As filas para entrar na jaula duram de 15 a 60 minutos, as jaulas dos filhotes de tigre e leões são as mais procuradas e os flashes das câmeras pipocam de toda parte. As pessoas pagam para ficar 3 minutos ao lado dos bichos, tirar foto, pegar no colo, abrir a boca do animal, alimentar com mamadeira e outra série de coisas que um animal selvagem jamais permitiria. De qualquer forma, fica nítido que algo de errado acontece neste lugar. Para constatar isso, basta lembrar dos casos recentes como o do Zoológico de Cascavel onde o garoto perdeu o braço e o da Índia onde um homem entrou na jaula de um tigre e foi devorado, são constatações mais do que suficiente do que é falado aqui.

012

Sabemos que animais selvagens não permitem este tipo de abordagem, são sempre arredios, desconfiados e jamais deixariam um humano deitar sobre ele ou arreganhar suas bocas, como aparece em algumas fotos. Fotos: Reprodução/internet

Apesar de os animais parecerem bem cuidados, com pelos saudáveis e bem alimentados, parece nítido que são meio abobalhados como zumbis e apresentam um estado letárgico o tempo todo. Os cuidadores garantem que os animais são domesticados e convivem com seres humanos desde que nascem e por isso não os estranha. Garantem também, que não há qualquer medicamento tranquilizante na comida ou na água.

Se alguém esteve lá, conte sua experiência. Ajude-nos a formar um texto que seja justo tanto para os animais quanto para o zoológico.

013

Ao que parece, estes animais vivem mesmo à base de tranquilizantes fortíssimos para permitirem um contato tão próximos com desconhecidos. Às vezes várias pessoas entram em uma jaula e os animais se quer tem forças para ficarem de pé. Foto: Reprodução/internet

Opinião de leitores que já estiveram lá:

“Estive no Zoo Lujan e quando entrei na jaula dos leões eles não estavam abobalhados ou com aparência de zumbi, estavam movimentando de um lado para o outro e várias vezes eles fizeram barulhos de leão. Aparentemente eles são bem tratados e domesticados desde que nascem.” [Vítor]

“Estive no Zoo Lujan e os animais são muito bem cuidados, há um grande carinho dos tratadores com os animais desde bebês, bem como muitas árvores no local! Os animais andam e brincam uns com os outros normalmente, não nos pareceu estarem dopados; pelo contrário, há todo um cuidado dos tratadores ao entrarmos nas jaulas.” [Núria]

“Estive neste zoo e o que vi é que sobra comida em todas as jaulas. Não vi sinais de maus tratos. Me parece que esses bichos aprenderam a conviver com as pessoas e que não precisam lutar por nada, comida, território ou seja lá o que for. Acredito que a barriga muito cheia os deixa sonolentos.” [Ana]

“Estive no Zoo de Lujan e o lugar era decadente. Qualquer pessoa conseguiria enxergar a tristeza no olhar daqueles bichanos. Realmente existe algo muito estranho lá, pois a maioria dos animais que são considerados perigosos estavam dormindo, e nas jaulas que entrei que havia algum acordado o cuidador jorrava de uma garrafa pet água pra eles beberem, e vai saber o que tinha nessa água.” [Ingrid]

011

Apesar de os animais parecerem bem cuidados, com pelos saudáveis e bem alimentados, parece nítido que são meio abobalhados como zumbis e apresentam um estado letárgico o tempo todo. Fotos: Reprodução/internet

Fonte: airesbuenosblog e esquadraopet

 


⚠  ATENÇÃO:  Nosso novo site, especial para mulheres, já está no ar. Acesse Diário Mulher.



Novidades

Topo