Curiosidades

O que dói mais: “Chute no saco” ou “dor do parto”?

Homens e mulheres estão sempre abertos a comparações entre os gêneros. Uma mulher nunca tomará um chute nas bolas (testículos) e um homem nunca saberá o que é a dor do parto. Mas será quem sofre mais nestes casos? Homem ou a mulher?

As mulheres carregam, nas últimas semanas de gravidez, um bebê com peso semelhante ao de uma melancia no ventre, que depois passará por um orifício do tamanho de uma moeda. Os homens, por outro lado, protestam que um golpe nas “partes baixas” poderia deixá-los incapacitados. Então, se você é homem ou mulher, tenho certeza que já se perguntou: “O que dói mais: A dor do parto ou um chute no saco?


Andam dizendo na internet, que o ser humano é capaz de suportar a dor referente a 45 Dels e que a mulher passa por uma dor referente a 57 Dels durante o trabalho de parto, o que pode ser comparado a ter pelo menos 20 ossos sendo quebrados ao mesmo tempo. Já o chute nas bolas, traz mais de 9 mil Dels de dor (quem disse isso provavelmente nunca teve um bebê de parto natural). Bem, além do absurdo lógico de que em ambos os casos a dor ultrapassa o limite suportável pelo ser humano, na verdade essa medida usada, sequer existe. Na verdade a medida de dor se chama Dol (que vem de Dolor).

Temos distribuídos no nosso corpo, células nervosas especializadas em sentir dor chamadas nociceptores que só são disparados quando um certo limiar de dor for ultrapassado. Os nociceptores reagem enviando sinais químicos ao nosso cérebro avisando da dor, o que nos permite agir rapidamente à ela. Alguns órgão internos, como fígado, não sentem nenhuma dor porque não são irrigados com os nociceptores.

Homens

chute nos aco

Nos homens os testículos são órgãos internos, que durante a evolução, migraram para fora do corpo, e são absolutamente cobertos por nociceptores, o que os torna extremamente sensíveis. Uma incrível estratégia da “mãe natureza” para evitar que este órgão seja lesionado e comprometa a fertilidade homem. Além disso, os nervos dos testículos estão associados aos nervos estomacais, assim como o nervo vago que está ligado ao centro do vômito no cérebro. É por isso que quando os homens levam um chute “lá” a dor se irradia até o abdome. Isso também explica os sintomas de dor, náusea, aumento da pressão arterial e suor excessivo quando os testículos são molestados com uma pancada.

Mulheres

Mas não pensem agora, que os homens são os grandes sofredores dessa comparação, no caso das mulheres, os órgãos internos sofrem muito com a distensão mecânica do útero, que obviamente também ativa os nociceptores causando o mesmo tipo de dor visceral sofrida pelos homens. Vale lembrar, que durante nossa evolução, as mulheres tiveram seus quadris diminuídos, enquanto os bebês tiveram suas cabeças aumentadas. Para piorar a situação, um trabalho de parto dura, em média, 8 horas seguidas, com a mistura de náusea, fadiga e muita dor. Além disso, a tensão e o alongamento dos músculos aumentam enquanto o trabalho de parto se intensifica gerando dor aguda localizada.

Comparação

hd-pe-no-saco

Assim, tanto o homem quanto a mulher sentem enviam impulsos ao centro de dor ao cérebro. A dor, não é simplesmente uma resposta física, mas sim, um experiência subjetiva e perceptiva, isso significa que cada pessoa sente a dor de uma maneira, e ainda seu humor, seu estado de alerta e ainda experiências de dor passadas. Por isso, as tentativas de medir a dor tem falhado, inclusive o uso da unidade de medida (Dol) mencionada acima. Isso quer dizer que a dor não é bem um estímulo e sim uma experiência descrita de forma diferente em cada pessoa.

Mas e aí? Parto ou chute nos testículos, o que dói mais? A má notícia é que teremos que considerar isso um empate, além do fato de que as experiências são completamente diferentes e há muitas variáveis a serem consideradas. Em alguns casos, o homem pode sentir mais dor que a sua esposa e vice-versa. A principal diferença é que um resulta em um bebê e o outro resulta na diminuição das probabilidades de fazer um bebê.

Fonte: AsapSCIENCE

Novidades

Topo
error: Sinto muito! Conteúdo protegido.