Curiosidades

Como o analgésico tira a dor de cabeça?

“Como o analgésico tira  dor de cabeça? Como ele age?” ( Adriellen Chen)

Adriellen, no meio médico a dor de cabeça é chamada de cefaleia, o nome dado a todas as dores na regiões da cabeça. É uma das dores mais comuns que existem e é, sem dúvida, uma das causas mais comuns de busca de atendimento médico. Quem nunca teve dor de cabeça, certamente um dia terá. Existem vários tipos e níveis de dor cabeça e em todas elas a primeira reação que temos é tomar logo um medicamento analgésico para se livrar logo dela.


Embora a dor de cabeça seja bastante incômoda, ela é um alerta de que algo não está bem no organismo. Sendo primária (sem problemas precedentes) ou secundária (sintoma de alguma doença, como gripe, por exemplo), a dor é sentida nos nervos e músculos da cabeça e pescoço, e, algumas vezes na membrana que cobre o cérebro e a medula espinhal (meninge). Nosso cérebro não dói, pois não tem receptores de dor, ele somente percebe a dor.

Várias áreas da nossa cabeça é equipada com nocireceptores, localizados nas artérias extracranianas, grandes veias, cranianas e nervos espinhais, cabeça e músculos do pescoço e as meninges. A dor de cabeça vem, quando sofremos uma pressão ou irritação das meninges e dos vasos sanguíneos desencadeados por algum processo inflamatório ou trauma. Estes um nociceptores transmitem mensagens ao cérebro avisando a parte do corpo que está irritada e doendo.

A origem da palavra analgésico vem do grego, onde AN significa ” sem” e ALGÓS, ” dor”. Na verdade eles não são todos iguais, existem três classes mais conhecidas. Analgésicos comuns (dipirona, paracetamol…), os anti-inflamatórios (aspirina, ibuprofeno, diclofenaco..) e os opioides (tramadol e fentanil). Para dores de cabeça, os analgésicos comuns são os mais utilizados e as demais classes só serão receitadas pelo médico depois de uma  investigação clínica.

 

mm

O analgésico age diretamente no sistema nervoso central, seja bloqueando os impulsos antes que chegue ao cérebro, seja modificando o sinal da dor , afim de enganar o cérebro. Foto: Reprodução/cabeloecia

Os anti-inflamatórios agem diretamente onde ocorre o processo, aliviando a dor pela melhora da inflamação. Já os comuns e os opioides agem diretamente no sistema nervoso central, bloqueando os impulsos e modificando o  estímulo da dor para que o cérebro não a interprete.

No caso dos analgésicos comuns, o alívio da dor se dá  porque eles agem nos receptores de dor modificando o processamento dos sinais enviados ao cérebro através dos nervos. São conhecidos também como analgésicos periféricos porque quando ingeridos se espalham pelo organismo através da corrente sanguínea. Na verdade, o medicamento não detecta onde está a dor, mas como ele se espalha pelo sangue, acaba chegando ao local específico e sendo absorvido.

Atenção: O Diário de Biologia não está receitando/indicando nenhum medicamento. Nossa equipe é formada por biólogos e somente um médico tem competência profissional para receitar qualquer tipo de medicamento!

stressed-worker

O analgésico leva , em média, de 30 minutos à um hora para começar a agir. E permanece no organismo por três ou quatro horas. Foto: Reprodução/niamsavera

Fonte: revistaescola, panadol e hsw

Este texto é de autoria do Biólogo Paulo Alex


⚠  ATENÇÃO:  Nosso novo site, especial para mulheres, já está no ar. Acesse Diário Mulher.



Novidades

Topo