Curiosidades

Manequim vestida de noiva no México, causa polêmica: “É um cadáver embalsamado”, dizem os moradores





Desde 1930, uma história até hoje reconhecida como uma lenda é do conhecimento de todos no Chihuahua, no México: La Pascualita, conhecida também como “A mais bela noiva Chihuahua”, um manequim de vitrine exposto em uma famosa loja de noivas local, poderá ser o corpo embalsamado de uma jovem noiva morta no dia do casamento?

Os moradores de todo o estado conhecem e juram que a “manequim” é o corpo embalsamado da filha da Sra. Esparza Pascualita Perales Perez, a dona da loja. Quem chegou a conhecer a filha da proprietária afirma que a moça era idêntica ao manequim da vitrine. A moça, teria 17 anos na época e teria morrido vítima de uma picada da aranha viúva negra escondida no terço que ela carrega até hoje em uma das mãos (outras histórias afirmam que foi um escorpião). Atordoada com o morte da filha, sra. Esparza pediu que o corpo fosse embalsamado e exposto na vitrine de sua loja. A mãe, morta em 1967, nunca desmentiu a história e a verdade foi enterrada com ela. Os próximos donos da mesma loja nunca tiraram a “noiva cadáver” da vitrine que está exposto há mais de 80 anos no mesmo lugar. As lendas não param por aí. Dizem que “corpo” seria amaldiçoado, e que vez ou outra mexe os olhos, levanta o queixo, chora e sorri. Os mais crentes da lenda garantem que em algumas noites ela deixa a vitrine e vaga pelo interior da loja.


O que deixa as pessoas intrigadas são os detalhes perfeitos que o manequim apresenta. Na realidade, La Pascualita seria um manequim meticulosamente construído em cera simples, trazido da França na década de 30, pelo primeiro proprietário da loja. A cera que reveste a pele é muito realista, o cabelo é natural e cuidadosamente inserido em seu couro cabeludo, os olhos de vidro possuem o contorno e brilho perfeitos que sugerem uma realidade impressionante. As mãos parecem tão reais que causa calafrios em quem observa de perto. A cor da pele das mãos, o interior das dobras, as rachaduras típicas, as unhas perfeitamente inseridas e até mesmo as impressões digitais foram feitas com tal perfeição nunca vista em outro manequim de cera.

original

La Pascualita está exposta há mais de 80 anos em uma loja de noivas no México. Foto: Reprodução/atlasobscura

Lenda ou verdade, La Pascualita é um “amuleto” para futuras esposas que insistem em comprar o mesmo vestido usado pelo manequim. Segundo a lenda, usar o vestido que já esteve no corpo de Pascualita traria sorte ao casamento. Até hoje, as noivas querem seguir a tradição de família, onde suas avós, e mães se casaram usando o vestido da Pascualita.

Biologicamente falando, o corpo humano inicia seu processo de decomposição muito rapidamente. E mesmo com o tratamento de taxidermia é impossível manter um corpo humano real tão bem preservado em tantos anos. O cadáver da menina, chamada Rosália Lombardo, morta há mais de 94 anos que ainda parece perfeito (link) passou por um processo diferenciado e por isso precisa ser monitorado com luz controlada e oxigênio quase zero dentro da redoma. Assim, seria impossível que um cadáver como sugere a lenda de La Pascualita pudesse ficar exposto por tantos anos sem sofrer danos.

A perfeição nos detalhes das mãos é o que mais alimenta a lenda de que Pascualita é um cadáver. Foto: Reprodução/atlasobscura

la_pascualita_noiva_defunta_01

O rosto também possui detalhes muito parecidos com uma pessoa real. Foto: Reprodução/entremujeres

pasccc

E todo vestido usado por Pascualita é rapidamente vendido. Foto: Reprodução/entremujeres

Fonte: entremujeres

Novidades

Topo