Curiosidades

Essa é boa: Saiba decifrar se você está doente, pela cor e forma do seu cocô



O cocô saudável é marrom. Essa coloração é graças a um pigmento escuro formado na digestão da bile chamado estercobilina. Alterações na cor podem vir da ingestão de certos alimentos ou corantes, também pode indicar uma alimentação errada. Veja a seguir como decifrar o seu cocô de acordo com a cor, o cheiro e o formato:

Branco ou cinza

Sem a estercobilina, o cocô fica com cara de argila. Isso pode acontecer por algum problema no fígado, pâncreas ou vesícula biliar que esteja bloqueando a passagem da bile. Pode ser uma pedra na vesícula e pode indicar até doenças graves como um câncer de pâncreas.


Vermelho

Alguns alimentos, como a beterraba, dão essa cor. Mas se ela persistir pode ser sinal de que você está sangrando em algum lugar do tubo digestivo. Se for vermelho vivo, o problema é na parte final indicando um sangramento anal causado por fissuras ou por hemorroidas.

Preto

Cocô preto indica sangramento na parte inicial da digestão, talvez na garganta ou estômago. Nesse caso, o sangue é digerido junto e chega preto ao. Nesses casos o cheiro é insuportável e dizem que quem conhece não esquece.

Amarelo

Pode indicar gordura, o que não é bom, já que o corpo deveria absorvê-la. Assim, pode haver algo errado com o seu sistema digestivo (ou a sua dieta). UM cocô “gordo” cheira muito pior do que o normal e geralmente flutua (o normal é afundar).

Verde

Uma dieta com muito ferro (ou suplementos) pode deixar seu cocô esverdeado. Mas pode ser também uma infecção ou inflamação, como a doença de Crohn, em que células imunológicas atacam os tecidos digestivos e provocam dor, diarreia e muco nas fezes.

Formato cilíndrico

Esse é o formato ideal. Com uma ponta para facilitar a saída. Mas não é regra: cada pessoa tem um padrão de cor, forma e frequência. As pessoas do sul da Ásia por exemplo, evacuam até três vezes mais do que ocidentais. Isso acontece por causa das fibras, muito mais frequentes.

Bolinhas tipo cabrito

Típico de quem sofre de prisão de ventre (até 15% das pessoas), a forma indica que o cocô demorou para chegar ao reto e está sem água. Pode sinalizar pouca fibra na comida ou o costume de “segurar” ao máximo. Quem tem o hábito de adiar a ida ao banheiro geralmente tem fezes ressecadas que podem machucar na saída.

Tipo poça

O cocô na forma líquida (como na diarreia) pode ser causado por bactérias. Mas também pode ser uma irritação do intestino por causa de alimentos a que o corpo não está acostumado. Isso agride a mucosa intestinal, e impede a absorção da água.

Tipo tripinha

Fezes finas são provavelmente apenas um sinal de que você está forçando demais e contraindo o esfíncter (a válvula que controla o abre e fecha do ânus). Mas, se isso persistir, pode ser indício de que algo está obstruindo o caminho, melhor procurar um médico.

2309231-6407-rec

A cor,  a quantidade e o formato das fezes pode ajudar a identificar problemas de saúde ou da sua alimentação.

Fonte: Superinteressante

Novidades

Topo
error: Sinto muito! Conteúdo protegido.