Absurdo: triste história de animais vivos vendidos como chaveiros na China [vídeo]

"]

Desde 2011 os chaveirinhos de animais vivos tem sido a febre entre os chineses e vem se espalhando rapidamente por todo continente Asiático. Sapinhos, tartarugas de água doce brasileiras, peixinhos, lagartixas e até pequenas salamandras são colocados em recipientes plásticos lacrados a vácuo contendo água colorida e nutrientes que prometem manter os animais vivos por até 2 meses. Os animais mal podem respirar e até mordiscam o lacre, provavelmente na esperança de tentar remove-lo.

O chaveiro, que é vendido como um amuleto e promete sorte ao dono, custa em torno de U$ 2,00 (dois dólares), são facilmente encontrados em qualquer banca nas ruas e condenam estes pequenos animais a morrer em poucos dias. Os vendedores garantem que vendem em torno de 50 destes chaveiros por dia e em algumas embalagens é possível até trocar a água e alimentar os animais através dos pequenos furos. Segundo eles, as crianças gostando “brinquedinho” e quando o animal morre, geralmente a mãe volta e compra outro para o filho.

A “brincadeira” tem atormentado grupos de ativistas que tentam impedir a prática, pois a legislação chinesa protege apenas animais selvagens nativos da China, animais que não são considerados selvagens, estão fora do escopo de proteção.

1animaisvivosacessorioschinarts

1turtles1

1852643-9568-atm14

1852644-9482-in

1852645-5402-in

amuletos-vivos-morte

Fonte: ANDA e Epoch Times

 







"]