Sua saúde

Por que os médicos receitam gargarejo de água morna e sal para dor de garganta?

Por que os médicos receitam gargarejo de água morna e sal para dor de garganta?
5 (100%) 2 votes

“O meu médico “otorrino” sempre recomenda gargarejo de água morna e sal para dor de garganta. Como esse remédio caseiro age no organismo?” Soraya Alves

Soraya quando a garganta está doendo, infeccionada existem vários processos acontecendo na região. Um deles é a presença de células de defesa do sangue (como os macrófagos) no local para combater os microrganismos (geralmente bactérias) causadores da patologia.

Quando a água morna entra em contato com a mucosa da garganta, o calor provoca dilatação dos vasos sanguíneos da região. Isso aumenta a circulação de sangue no local e consequentemente ajuda que o maior número possível de células de defesa (glóbulos brancos) possa passar do sangue para o local afetado, nesse caso a mucosa da garganta. Mesmo sem adicionar o sal, somente a água morna já é capaz de auxiliar na diminuição da inflamação e da dor.




Muitas pessoas acreditam que o sal ajuda na limpeza da garganta e algumas até passam sal puro nas amígdalas para a provável “limpeza” do local. Mas na realidade, o sal não limpa a mucosa e ele puro pode até feri-la. O que acontece é que nosso sangue possui uma concentração de aproximadamente 0,9% de sódio. A água com uma pitada de sal se torna uma solução aproximada com o líquido que temos no corpo. Ou seja, o gargarejo de água morna + sal possui uma combinação química bem parecida com a do nosso organismo. Esta solução se torna menos agressiva ao organismo do que a água pura, isso ajuda na remoção do muco infeccionado que se forma na garganta.

Fonte: Mundo Estranho

1 Comentário

1 Comentário

  1. “Trabalho com adolescentes de 14 a 17 anos, idade que eles ficam agitados e ainda têm as cordas vocais novas, e tenho percebido que os jovens estão falando cada vez mais alto, pelo fato de usarem muito o fone de ouvido. Por tentar falar muito alto às vezes, tentando competir com a voz dos alunos, já tive problemas de rouquidão, dor de garganta e cansaço ao falar. Por isso, passei a tomar certos cuidados, como evitar forçar a voz, beber bastante água e fazer exercícios vocais antes de cantar. Há dez anos, também comecei a usar o microfone nas salas de aula e isso tem facilitado bastante”, conta a professora.

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo