Curiosidades

É verdade que dieta não reduz a quantidade de células de gordura?

“Li uma reportagem sobre dieta que dizia que mesmo emagrecendo muito , nossas células de gordura não diminuem a quantidade. Isso é verdade?” Elisângela M. Santana




Isso é verdade sim, Elisângela. Estudos publicados em uma revista científica, garantem que o número de células de gordura (adipócitos) é definido até aproximadamente 20 anos de idade. Depois disso, nada é capaz de diminuir essa quantidade, nenhuma poderosa dieta e nem mesmo uma redução de estômago. A quantidade de adipócitos acumulada nos primeiros vinte anos de vida é determinada principalmente pela genética e hábitos alimentares. Nosso corpo já é programado para ter uma quantidade de células de gordura por toda a vida, algumas pessoas têm mais e outras, as mais gordinhas, tem menos. Nenhuma dieta vai mudar isso, nem mesmo lipoaspiração, pois uma vez as células foram retiradas, o organismo dá logo um jeito de produzir a quantidade de adipócitos perdidos no procedimento.

Quando emagrecemos, parece que perdemos as células de gordura, mas na verdade elas apenas perdem volume, mas continuam lá. Além disso, todos os anos, 10% das células de gorduras são renovadas, sempre na mesma quantidade e estas possuem uma incrível capacidade para aumentar de tamanho. É por isso que mesmo depois de fazer uma boa dieta que nos deixou com um corpo magro, é fácil recuperar os quilos perdidos. As novas células vêm com força total, programadas para acumular muita gordura. Uma célula jovem, não importa a sua função, é sempre mais eficaz.

A influência da alimentação quando criança e adolescente é primordial para a definição dos adipócitos que a pessoa vai carregar por toda vida. Uma pessoa de peso normal tem de 20 a 30 bilhões de células adiposas. Os gordos, de 60 a 80 bilhões. Alguém programado geneticamente para ter 70 bilhões de células adiposas que se alimenta com parcimônia, de preferência alimentos pouco calóricos, ela pode driblar a genética e nunca atingir a quantidade de adipócitos determinada pelos genes. Mas normalmente não é isso que acontece, tanto que 75% das crianças gordinhas serão adultos obesos.



Dieta, redução de estômago, nada adianta: a quantidade de células de gordura não diminui depois dos 20 anos. O máximo que você pode fazer é murchá-las!

FONTE: Veja

7 comentários

7 Comments

  1. O adulto médio magro tem 40 bilhões de células de gordura, também chamadas de tecido adiposo. Estas células proteger órgãos vitais, reserva de energia, hormônios diretos e produtos químicos de liberação que afetam o metabolismo e a função cerebral. De acordo com Denise Grady do New York Times, “Nos últimos anos, os biólogos começaram chamar gordo ‘endócrino órgão,’ comparando-a com glândulas como a tireóide e a hipófise, que também liberar hormônios.” Uma pessoa obesa tem pelo menos duas ou três vezes a quantidade normal de células de gordura, que continuam a multiplicar e afetar a função do corpo.

  2. Kauê Braga

    em

    Ahh, fiquei triste. 🙁 Vou fazer 20 anos daqui 3 meses. Ainda da tempo de perder essas células? 😛

  3. Bruna

    em

    Então eu que tenho 16 anos e tenho gordura acumulada na barriga (porém não sou muito gorda), ainda tenho até os 20 anos, aproximadamente para fazer minhas células diminuirem?

  4. O endocrinologista Alfredo Halpern explicou que, quando um indivíduo engorda, produz uma quantidade maior de células de gordura. Ao emagrecer, essas células murcham, mas não desaparecem – a quantidade só aumenta, nunca diminui.

  5. Pingback: É verdade que dieta não reduz a quantidade de células de gordura … | A Verdade Sobre

  6. Por tudo isso, estima-se que 50 gramas de tecido adiposo marrom ativo sejam suficientes para elevar em 20% a taxa do metabolismo basal (a quantidade de calorias que o organismo utiliza, em repouso, para manter o funcionamento dos órgãos). Por essa conta, um indivíduo que consiga acionar as células de gordura marrom poderia perder até cinco quilos, em um ano, mantendo a mesma dieta e o mesmo nível de atividade física. “Ela pode ser capaz de queimar centenas de calorias por dia”, afirmou à ISTOÉ o cientista Aaron Cypess, do Joslin Diabetes Center e autor de vários trabalhos a respeito do assunto.

  7. Também foi descoberto que cerca de 10% dos adipócitos (células gordurosas) se renovam a cada ano. As novas células são mais “famintas” que as velhas e forçam o organismo a adquirir mais alimentos para que elas os armazenem em forma de gordura.

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo