Animais

Por que atividade física causa dores musculares?

“Adoro o Diário de Biologia, leio o site e acompanho diariamente a fanpage no Facebook. Queria saber por que sentimos tanta dor no corpo quando fazemos exercícios físicos?” Bruno Maya




É verdade Bruno, depois de uma malhação puxada o corpo todo dói. Isso é normal. Quando uma pessoa está sem praticar exercícios há muito tempo, qualquer atividade irá causar dores musculares no dia seguinte podendo se prolongar até mais dois dias. Isto porque o organismo precisa de um tempo para se adaptar a novos esforços.

Alguns especialistas dizem que as dores pós-treino surgem por causa do acúmulo de ácido lático entre as fibras musculares. Quando passamos por uma atividade muscular, nossos músculos estriados esqueléticos precisam de muita energia. Essa energia é obtida pela “queima” de da glicose com o uso de gás oxigênio que vem da respiração. Mas, quando a atividade vai além do que estamos habituados, parte da energia necessária para a atividade muscular é obtida também por um tipo de fermentação na qual o organismo passará a “queimar” a glicose sozinha sem utilização gás oxigênio. Essa fermentação que ocorre no músculo é chamada “fermentação láctica”, que resulta na produção de ácido láctico e causa esse desconforto dolorido.

O desconforto também acontece por causa da micro-rupturas nos grupos musculares envolvidos na atividade física. Trata-se de micro-lesões originadas quando nossos músculos se contraem e relaxam na realização do exercício físico, causando um esforço extra na estrutura. Se este esforço for muito maior do que aquele ao qual o corpo está acostumado, ocorrem pequenos traumatismos, invisíveis a olho nu, que provocam dor.

Mas é bom saber que toda realização de exercícios físicos deve levar em conta a condição física do indivíduo. Se a pessoa sentir a dor do dia seguinte, significa que a carga dos exercícios foi exagerada e que aquele corpo não está preparado para um treinamento com esta intensidade. É necessário amenizar os treinos até que os músculos se habituem ao novo ritmo e além da parte muscular, a pessoa também irá sentir novos ajustes em outros sistemas como o metabólico e o cardiovascular.



Se a pessoa sentir a dor do dia seguinte, significa que a carga dos exercícios foi exagerada e que aquele corpo não está preparado para um treinamento com esta intensidade.

  



FONTE: Fabio Saba e Cyber Diet

4 comentários

4 Comments

  1. É verdade que algumas pessoas têm mais facilidade para “ganhar músculos” ou para aumentar a massa muscular, devido à composição corporal e genética. Mas você pode fazer a musculação, de acordo com os seus objetivos, como, por exemplo, enrijecer a musculatura e eliminar a flacidez.

  2. Luciano Cardoso

    em

    Olá!!! Sou prof. de Educação Física e graduando em Ciências Biológicas. Sou grande fã do trabalho realizado pelo site. Gostaria apenas de elucidar uma informação: a dor muscular de início tardio (DMIT) não é ocasionada pelo acúmulo de ácido láctico… esta é uma ideia que caiu por terra já faz algum tempo. A origem desta dor ainda não é totalmente elucidada pela ciência (sendo sugerido que deve ser por micro lesões no tecido muscular, fatores neurais, fatores de oclusão vascular…), entretanto, sabe-se que não é devido ao ácido láctico, sendo que sua produção chega a ser questionável, pois o mesmo por muito tempo foi confundido com o lactato (que é um sal). E lembrando que a degradação da glicose não ocorre com a presença do oxigênio, sendo assim, um mecanismo anaeróbio. Abraço.

  3. Caro Luciano Cardoso, vi uma reportagem “Discovery” na qual falavam sobre o ácido Láctico, inclusive testes foram feitos com um rapaz que seu organismo por uma deficiência não produzia o ácido e “comprovado cientificamente” o mesmo não sentia dores musculares e nem câimbras. Creio que o Ácido Láctico tem uma enorme parcela nas dores quando fazemos exercícios.

  4. Silvia

    em

    Primeiramente, parabéns Karlla pelo seu site!
    Sou bióloga, mestre em bioquímica, e acho seu site super educativo.

    Na verdade, Luciano, não é que a degradação da glicose seja anaeróbicaaa.
    Se você falar da degradação completa da glicose, utiliza-se sim o oxigênio, como aceptor final de elétrons formando água, lá na fosforilação oxidativa.
    Porém, se você fala do inicio desse processo de degradação completa da glicose, a glicólise, aí sim, ela sim é anaeróbica e ocorre no citosol, diferente do resto do processo que ocorre na mitocôndria.

    Abraço

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo