Como diferenciar se um cogumelo é comestível, venenoso e alucinógeno?

“Eu adoro o Diário de Biologia e tenho acompanhado no Facebook e no site. Queria saber como fazer para identificar se um cogumelo é venenoso, alucinógeno ou comestível.” Anderson Lira

 Olá Anderson. Seria ótimo se pudéssemos ver um cogumelo e saber se podemos comê-lo ou não. Mas isso não é possível e nem mesmo um especialista em fungos (micologista) tem esse “super-poder”. Acredita-se que existam hoje, cerca de 1,5 milhão de espécies de cogumelos, sendo que 95% dessas espécies se quer foram descritas e devidamente estudadas. Ou seja, ao encontrar um cogumelo na mata, seja esperto o bastante para não arriscar come-lo, pois isso pode lhe custar a vida.

Mesmo que o cogumelo tenha uma aparência de uma espécie comestível é bom não arriscar, pois no mesmo gênero existem espécies comestíveis, altamente venenosas e alucinógenas, como é o caso do gênero Amanita: A espécie Amanita muscaria é alucinógena e foi usada durante muito tempo na antiguidade como uma droga. A Amanita phalloides também conhecida como “chapéu-da-morte” é super-venenosa e apenas 50g pode matar um ser humano. Já a espécie Amanita caesarea que não existe no Brasil é utilizada na culinária europeia em saladas e pratos finos.

A verdade é que para saber se uma espécie é comestível, deixa doidão ou mata é somente através de exames laboratoriais especializados, utilizando análise morfológica por comparação com as características de espécies já catalogadas e análise bioquímica em que as substâncias tóxico-alucinógenas podem ser identificadas.

Assim, não existe uma forma segura de identificar um cogumelo no mato e decidir comê-lo. Mesmo se as características morfológicas forem idênticas àquelas de uma espécie conhecida, uma análise feita por um bioquímico treinado para identificar a presença de toxinas (como a alfa-amanitina, encontrada no Amanita phalloides) e substâncias alucinógenas (como a psicilobina, do Psilocibe cubensis).

ALUCINÓGENO: Amanita muscaria – Um pedacinho de 1 grama pode te deixar doidão por várias horas. É um dos alucinógenos mais antigos da humanidade.

COMESTÍVEL: Amanita caesarea – Não existe no Brasil, mas faz muito sucesso nas cozinhas europeias. Pode ser comido cru, em saladas, sem perigo de intoxicação ao organismo.

VENENOSO: Amanita phalloides ou “chapeu-da-morte” – 50 gramas são suficiente para matar uma pessoa. O papa Clemente VII morreu depois de comer um desses aí!

 FONTE: Mundo Estranho