Curiosidades

Além do rim, descubra quais outros órgãos podem ser transplantados de um doador vivo

“Estou fazendo curso de Biologia e durante uma aula, discutindo sobre transplantes tive dúvida sobre os órgãos e tecidos que uma pessoa pode receber através de transplante de uma pessoa viva. Pode me dar uma luz?” Géssica Garcia




Géssica, o transplante é um procedimento cirúrgico em que um doador (morto ou vivo) repõe um órgão (coração, pâncreas, pulmão, fígado, rim) ou tecidos (medula óssea, ossos, córneas) para um indivíduo doente.

Em vida, uma pessoa pode ser doadora dos seguintes órgãos: RIM, que são os casos mais comuns; parte do FÍGADO, pois este é um órgão com capacidade de regeneração; parte do PULMÃO em casos raros devido à necessidade de dois doadores para um receptor e até mesmo parte do PÂNCREAS e do INTESTINO, ambos em situações excepcionais. No Brasil, acontecem, por ano, com doadores vivos, até 2 mil transplantes de rim, em torno de 160 de fígado e no máximo três de pulmão.

Com relação aos tecidos, a medula óssea (células hematopoiéticas) só pode mesmo ser transplantada de um doador vivo em que não é necessário ter relações de parentesco com o doente. Qualquer um pode ser doador. Inclusive existe um banco de medula, na qual o doador coleta uma amostra de sangue e, se alguém que precisar do transplante for imunologicamente compatível, será solicitada a doação da medula óssea.

Várias doenças podem levar à necessidade desses transplantes. No caso do rim, a hipertensão e o diabetes são as principais causas da perda de função do órgão. Já o fígado precisa ser substituído quando os pacientes apresentam falência hepática provocada por problemas agudos ou mesmo por tumores na região. O transplante pulmonar, por sua vez, é indicado para doenças terminais, geradas por fibroses, enfisemas e doenças obstrutivas crônicas. No caso da medula óssea, a cirurgia é recomendada para tratar pacientes com anemia aplástica, leucemias, linfomas e mieloma múltiplo.



O transplante renal é o tipo de transplante que mais ocorre com doador ainda vivo!

FONTE: Nova escola



2 comentários

2 Comments

  1. Ariadne Costa

    em

    Muito boa essa matéria
    amo biologia
    e vcs são incríveis

  2. william haddad

    em

    DOAÇOES DE ÓRGÃOS. EU INCENTIVO EU SOU DOADOR,
    peço à todos que ao terem um ente querido já desencarnado, doe para outro ser seu irmão os órgãos d falecido(a) é um gesto nobre e generoso, é uma dádiva divina, poder salvar a vida de um semelhante e perpertuar o semelhante que se foi, pois este que doou seu órgão ou a família que assim o permitiu, estará perpetuando o amado(a) que partiu.
    doei as côrnas de minha mãe assim que ela desencarnou, minha felicidade é saber que duas pessoas estão vendo o mundo com suas côrneas, assim de certa forma minha mãe ainda vê o mundo através destes olhos………

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo