Mulher

Como as mulheres se viravam para evitar gravidez na antiguidade? Veja 6 impressionantes métodos anticoncepcionais daquela época

Desde a antiguidade evitar gravidez indesejada sempre foi um problema para os casais. Felizmente, a pilula anticoncepcional possibilitou as mulheres a se libertarem de conceitos antigos e causou uma verdadeira revolução. Mas antes da pílula ser inventada, as mulheres já tinham “controle” sobre uma possível gravidez. Alguns destes métodos não parecerem lá muito seguros e alguns soarem aterrorizantes.

Para aparecerem nessa lista os métodos anticoncepcionais tinham que ser, minimamente, plausíveis. Há registros de mulheres da antiguidade que usavam danças e amuletos para prevenir a gravidez. Segue a lista de 6 métodos naturais usados antigamente e alguns que funcionavam muito bem!


1- Algodão com pasta de acácia

Antigamente as mulheres faziam uma pasta de acácia e casca de árvores e passavam em um tufo de algodão e usá-lo como um tampão que inserido dentro do canal genital, impedia a gravidez. Tanto o algodão como a acácia têm propriedades espermicidas. A acácia fermenta e se transforma em ácido lático, enquanto o algodão servia de barreira entre o sêmen e o útero. Durante os tempos de escravidão, as escravas mastigavam raízes de algodão para prevenir a gravidez. A raiz de algodão diminui a produção de progesterona, um hormônio que é necessário para a gravidez.

2- Limão

O limão também já foi muito usado como espermicida. As mulheres da antiguidade costumavam ensopar esponjas em suco de limão e depois inseri-las no canal genital (aiii!!!). Era o método preferido em comunidades judaicas antigas. Dizem era comum os homens usarem a casca de limão como uma espécie de diafragma em suas amantes, para isso cortavam metade de um limão tiravam a poupa e formava um tampão que era inserido no canal genital. Banhar o órgão genital da mulher com suco de limão após o coito também era um método muito usado, apesar de não ser um método muito eficiente.

3- Cenoura selvagem

A cenoura-selvagem (Daucus carota), uma erva também conhecida como “Renda da Rainha” produz sementes que, há muito tempo, foram usadas como anticoncepcionais. Pelo que se sabe, as sementes bloqueiam a síntese de progesterona, funcionando como uma espécie de pílula do dia seguinte, que podem ser ingeridas até 8 horas após o contato com o esperma. Era um método muito usado pois ingerir as sementes causava apenas um pouco de prisão de ventre e quem fizesse o uso dela poderia ter filhos saudáveis depois sem nenhum problema.

4- Poejo

O poejo (Mentha pulegium), também conhecido no Brasil como hortelãzinho usada pelos antigos gregos e romanos temperavam seus alimentos e seu vinho com ela. O chá de poejo era usado para induzir o aborto e a menstruação. Mas é preciso ter cuidado: ingerir muito do chá, no entanto, pode ser tóxico, levando à falência múltipla dos órgãos e naquela época muitas mulheres adoeciam por usarem o poejo em demasia.

5- Mamão verde

Mamão bem verde era muito usado no sul da Ásia para prevenir a gravidez ou para induzir um aborto. As próprias sementes do mamão podem ser usadas como um “anticoncepcional masculino”. Segundo os estudiosos as sementes forem ingeridas todos os dias, a contagem de espermatozoides no sêmen pode chegar a zero. E quando pára de comer as sementes, a produção de espermatozoides volta ao normal.

6- Arruda

maxresdefault

A arruda que você usa para afastar mau-olhado no seu jardim foi descrita por Sorannus, um médico grego do século II como abortificante. Moças em diversas regiões da América Latina comiam verdadeiras saladas de Arruda para prevenir a gravidez e, quando queriam induzir um aborto, tomavam chá da planta. A arruda tem um efeito bastante efetivo para provocar a menstruação. Consequentemente, em casos de gravidez, é um risco muito grande, pois estimula a contração das fibras musculares do útero, causando forte hemorragia e até a morte!

Fonte: Hypescience

Comentários

Novidades

Topo