Curiosidades

Por que as bactérias ficam resistentes aos antibióticos?

Por que as bactérias ficam resistentes aos antibióticos?
Esse texto foi útil para você?

Eu tenho infecções de garganta frequentes desde criança. Meu médico disse que as bactérias já estão resistentes a vários antibióticos que usei durante a vida. Como as bactérias se tornam resistentes aos antibióticos? Maria Cristina




Pois é Maria Cristina, antes de sabermos como as bactérias possuem essa capacidade de se tornarem resistentes, precisamos saber um pouco mais sobre os antibióticos. Bem, antibióticos são bactericidas, ou seja, matam as bactérias diretamente, para isso eles bloqueiam a capacidade de crescer e de se reproduzir das bactérias (bacteriostáticos). Em resumo, numa luta contra uma infecção bacteriana, quando o nosso sistema imunológico “não dá conta do recado”, os antibióticos são levados para a batalha contra os invasores,até que nosso sistema imunológico esteja novinho em folha.

Para evitar o crescimento bacteriano, os antibióticos alteram a parece células das bactérias, interfere na síntese de proteínas, de DNA e RNA dessas células e com isso altera o seus sistema metabólico. Só que, as bactérias são muito “espertas”, elas às vezes encontram várias formas de se contrapor essas ações. Uma forma de as bactérias evitarem a ação antibiótica é alterar a parede celular de suas células aumentando a permeabilidade de suas membranas ou reduzindo o número de canais disponíveis para os antibióticos se difundirem. Outra estratégia é criar o equivalente molecular a um guarda que escolta os antibióticos até a porta de saída se eles entrarem. Algumas bactérias usam energia do ATP para bombear os antibióticos para fora da célula.



Além disso, bactérias podem usar outros meios de se tornarem resistentes:

Mudança de alvo: muitos antibióticos funcionam pela aderência ao seu alvo. bactéria possui uma “marca” que são facilmente “notadas” pelos antibióticos. Para se tornarem resistentes algumas bactérias alteram a estrutura do alvo de modo que o antibiótico não possa mais reconhecê-lo.

Destruição do antibiótico: Uma tática radical. Ao invés de simplesmente ignorar a droga ou montar bloqueios moleculares, algumas bactérias sobrevivem destruindo seus inimigos diretamente. Por exemplo, alguns tipos de bactérias produzem enzimas chamadas beta-lactamases que destroem a penicilina.


3 comentários

3 Comments

  1. adriana vitulskis

    em

    deixo aqui meu relato de que faz 12 dias que estou com uma infecção bacteriana na garganta, fiquei 10 dias internada, estou 2 dias em casa, terei que tomar mais 15 dias de antibiótico, e ainda tenho o foco infesccioso, sinto muita dor, meu pescoço ainda esta inchado, e avermelhado, doi meu ouvido, sinto dificuldade pra engolir, enfim, não sei como os médicos vão conseguir combater essa infecção,queria falar com o DR. House…..

  2. Léo

    em

    Você não citou o que eu acho que mais acontece em vez dessas adaptações, que acredito que sejam relativamente raras de acontecer.
    A seleção natural. As bactérias mais resistentes sempre estiveram lá, mas os antibióticos eliminaram as mais sensíveis e isso permitiu a proliferação das mais resistentes.

  3. Ícaro

    em

    Muito interessante o post e o blog, parabéns!
    Só achei que nesse post faltou falar dos plasmídeos…

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo