O super poderoso: Tardigrada, o animal mais resistente do planeta! [com vídeo]

"]

Elefantes, Dragões de Komodo, rinocerontes, búfalos! Que nada! O adulto dos tardígradas só tem 1,5 mm, mas pode ser até menor. São conhecidos  também como “ursinhos d’agua”, o nome é fofinho mesmo, mas estes tem sido considerados os bichos  mais resistentes do planeta terra.

Tardígrada é um Filo  relacionado ao filo dos artrópodes (insetos, aranhas, crustáceos), possuem quatro pares de patas articuladas com 4 unhas cada uma. Vivem presos em musgos, em locais bem úmidos e até no filme d’agua. Alimentam-se da seiva de plantas e para comer usa estiletes perfuradores, que ficam dentro a abertura bucal. Olhando no microscópio, parece mesmo um ursinho (veja imagens). As características são peculiares, eles não tem coração, nem sistema circulatório. O cérebro é no dorso.

O mais interessante é que este bichinho microscópio tem uma resistência incrível. Quando ocorre algum problema no ambiente, ele entra em um processo chamado anabiose, recolhe as pernas, perde toda a água do corpo e diminui o metabolismo ao mínimo, por fora do corpo secreta uma cutícula dupla e por causa disso supera um monte de adversidades. Acredite! Sobrevivem a falta de oxigênio, temperaturas acima de 140°C e abaixo de 270°C, resistem a vários gases tóxicos, pressão 75 mil atmosferas e radiação 570.000 grays. São capazes de sobreviver no vácuo por até 10 dias e num estado de desidratação por mais de 10 anos, reanimando-se com apenas uma gota de água.Vivem por muitos anos, isso porque eles têm a habilidade de se encolher e permanecer praticamente morto, sem exercer qualquer atividade e, quando quiser, “voltam à vida”.

Animal-resistente
Super-power tardígrada – Imagem de microscopia eletrônica! Foto: Reprodução/mailonline

Acha que acabou? Não… recentemente (2007) foi realizado um experimento no espaço, e sem usar capacete, os tardígradas surpreenderam os cientistas. Para ser mais exata suportaram no espaço: vácuo, radiação ultravioleta e raios cósmicos. No caso dos raios ultravioleta, a intensidade foi  cerca de mil vezes maior do que a experimentada na superfície da Terra. Só que a radiação não impediu eles voltassem vivos e, mais ainda, deram origem a novos tardigradozinhos (leia AQUI a reportagem no G1). Os bichos se reproduziram após passar por experiências que nenhum ser vivo sobreviveria. Os cientistas até hoje não sabem explicar como e porque esse bicho é tão resistente!

tard
Outra imagem de ME, aqui eles estão, provavelmente,  sobre folhas de musgos. Espécie: Echiniscus granulatus. Foto: Reprodução/LifeScience
034F-Tardigrada--Bjorndjur-001
No microscópio óptico eles são vistos assim… Quase não dá pra ver os detalhes! Foto: Reprodução/Virtue School
Veja o vídeo do bichinho de movimentando…

———————————————————-







"]