Curiosidades

A química da paixão existe mesmo! Veja as substâncias químicas liberadas pelas pessoas apaixonadas

A química da paixão existe mesmo! Veja as substâncias químicas liberadas pelas pessoas apaixonadas
Esse texto foi útil para você?

…Outra coisa que eu queria saber é se a Endorfina tem alguma co-relação em relação a paixão. Antony




Sim, Antony, a endorfina tem relação com a paixão. Mas existem vários outros tipos de substâncias. O símbolo da paixão é o cupido, pela mitologia greco-romana, uma flecha atinge o coração causando a paixão. Isso tem explicação, pois a paixão causa aceleração cardíaca e aquele fogo no peito que sentimos quando estamos ao lado de quem gostamos. Na verdade a flecha do cupido atinge a cabeça. Todos aqueles suspiros, suores, olhares perdidos e as outras sensações nascem no cérebro e é resultado de várias combinações hormonais do nosso corpo. A seguir veja algumas substâncias naturais do organismo envolvidas na paixão:

A DOPAMINA é uma das substâncias responsáveis pelas descargas de emoções para o coração e as artérias. É um neurotransmissor da alegria e da felicidade liberado no organismo para potencializar felicidade. A pessoa fica agitada, corajosa e disposta a fazer coisas novas, apesar de dormir e comer mal. O mecanismo cerebral é muito parecido com aquele de se viciar em cocaína. A sensação é tão gostosa que a pessoa pede a Deus para que essa paixão dure para sempre e a dependência pelo amado provoca uma síndrome de abstinência quando eles se distanciam.

FENILETAMINA, outra molécula natural parecida com a anfetamina associada a várias mudanças nos apaixonados, assim como a NORADRENALINA, que contribui com a memória para novos estímulos. Por isso os apaixonados costumam se lembrar da roupa que o amado usava, da voz e do jeitinho natural. Os hormônios como a OXITOCINA e VASOPRESSINA, que formam os laços afetivos mais duradouros e intensos,  também tendem a aumentar nas fases mais agudas, preparando o terreno para um relacionamento estável.

Uma área específica do cérebro se mostra ativadas em pessoas apaixonadas, são locais cheios de DOPAMINA e ENDORFINA, um neurotransmissor com efeito semelhante ao da morfina. Juntos eles estimulam o prazer, com o mesmo mecanismo do prazer em comer quando sentimos fome e em beber quando temos sede. Quanto mais contato se tem com o amado ou a amada, mais liberação de endorfina e dopamina, ou seja, de mais e mais prazer.



pesquisa-olhos-mentira-20120711-01-size-598

A química da paixão existe mesmo!



Fonte: superinteressante

4 comentários

4 Comments

  1. Joanan

    em

    Nhóoo!
    Verdade!
    hehehehehehhe

    O que mais me impressiona, é estar preparado para os momentos mais dificeis.
    Seja um grande desentendimento, perda de alguem da familia, e outras coisas pesadas assim.
    Nesses pontos criticos, ou o relacionamento desmorona e acaba, mostrando que a outra pessoa nao é tao importante assim, que voce se preocupa mais com voce mesmo; Ou, torna o relacionamento mais forte, mostrando que o outro é tao, ou até mais importante do que voce mesmo, atingindo assim um nivel de cumplicidade elevadissimo, tornando estável e duradouro.

    Hoje a ciencia explica isso.
    Que alivio!
    Nao sou louco entao!
    hehehehehe

  2. Ual! Que matéria! Agregue este link em nossa rede social!

    http://migre.me/1aSCq

  3. Luis

    em

    Show de bola
    achei um máximo aprender
    parabens

  4. Vando

    em

    Muito bom artigo. Parabéns. Estou estudando neuroanatomia e por esse artigo pude compreender novos neurotransmissores. Obrigado.

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo