Anomalias e doenças

Síndrome de Pica: mania de comer coisas estranhas





 Depois de falarmos sobre a tricofagia, doença na qual as pessoas arrancam os próprios cabelos para ingeri-los – veja AQUI! – hoje, apresento a vocês a alotriofagia, também conhecida como “Síndrome de Pica” que se trata de uma condição bastante rara entre os seres humanos, na qual o indivíduo tem um apetite descontrolado por coisas ou substâncias não comestíveis, como tecidos, sabão, moedas, carvão, pedra e tudo mais.

O nome “pica” vem latim e significa “pega”, um pássaro do hemisfério norte conhecido por comer quase de tudo que encontrar por sua frente. Esta síndrome pode ser vista em todas as idades, mas especialmente em mulheres grávidas e crianças, principalmente aquelas que possuem desnutrição ou dificuldades no desenvolvimento. Mas atenção às mamães: se uma criança é vista comendo terra, tentando engolir brinquedos, pedrinhas, botão de roupas e até cocô não significa que ela tenha pica, pois sabemos que no desenvolvimento normal da criança existe a fase em que tudo é “experimentável“. Para que tais hábitos sejam considerados pica isso precisa persistir pelo menos por um mês durante um período de vida quando não se considera normal, dentro do quadro de desenvolvimento humano. Ou seja, se uma pessoa não pode ver um pedaço de carvão, ou fica tentando comer a própria roupa… É um caso para se observar!


3253880445_db682e2d70

Na Síndrome de Pica, as pessoas tem desejo de comer coisas que não são comestíveis, no caso de comer pedras, chamamos de Geofagia!

Este transtorno pode ser revertido com o uso de alguns medicamentos e ingestão de vitaminas, mas na maioria dos casos o tratamento exige considerações psicológicas e ambientais. Em alguns casos uma leve terapia tem sido eficaz para modificar o quadro de pacientes sofrendo com essa condição.

g_sindrome-de-pica

Este transtorno pode ser revertido com o uso de alguns medicamentos e ingestão de vitaminas, mas na maioria dos casos o tratamento exige considerações psicológicas e ambientais.

FONTE

Comentários

Novidades

Topo