Berne, fujam dele!

“Oi Karlla! Estou enviando fotos que tirei de uma larva… Essa larva estava dentro de um machucado (!!!), e foi retirado como se fosse uma espinha . Estou horrorizada até agora, pois nunca tinha visto isso antes. Queria saber: que bicho é esse? O que isso iria virar se ainda tivesse dentro do ferimento??? Repare que tem um ferrãozinho na frente… a parte de trás é o que ficava aparente no machucado.” Borboleta Marinha

Pois é Borboleta, realmente parece algo assustador!. “Isto” é  a fase larval de uma mosca da família Oestridae, chamada “Dermatobia hominis” (mosca do berne ou mosca varejeira). Antigamente era mais comum os casos de berne (dermatobiose) em humanos, felizmente hoje em dia, os casos parecem cada vez mais raros.

O grande problema é seu ciclo de vida. Para que se torne adulta é preciso que sua larva se alimente de tecido de animais de sangue quente (aves e mamíferos), isso inclui os seres humanos como um dos seus pratos preferidos. Assim que se torna adulta, seu principal objetivo é se reproduzir o quanto antes!

Mas como ele vai parar na pele das pessoas? Bem, assim que as fêmeas da “mosca do berne” tem seus ovinhos fecundados, sai em busca de uma tarefa difícil: elas procuram por outros artrópodes que se alimentam de sangue (carrapatos e mosquitos, por exemplo) para que funcionem como “carona” para seus ovos. Elas fazem a postura no corpo dos mosquitos e carrapatos para que no momento em que forem se alimentar do sangue dos animais, os ovos possam estar no local ideal para o desenvolvimento das larvas. É como se pegassem mesmo carona no corpo dos mosquitos, literalmente!

Uma vez na pele do animal (ou humano), os ovos eclodem e as larvas ficam livres. É claro que elas são muito pequenas e normalmente passam despercebidas. Através de uma ferida ou pelos folículos pilosos elas penetram e permanecem na camada subcutânea da pele. O corpo do indivíduo infectado reage à presença do parasita, aumentando a sua contagem de células brancas do sangue, e isso muitas vezes faz com que a ferida para secretar pus. Enquanto isso, a larva se alimenta constantemente, respirando pelo buraquinho formados pelas pústulas. Elas podem permanecer ali de 5 a 10 semanas!

dermatobia_hominis02

Dermatobia hominis, essa não está muito bonita, pois é um exemplar de coleção… :(

Assim que atingem seu último estágio de desenvolvimento, elas precisam deixar o corpo do hospedeiro, pois seria muito estranho se saísse uma mosca de dentro na nossa pele, não é? Elas então, geralmente durante a noite para evitar desidratação, saem pelo orifício para caírem no solo onde formam uma pupa (tipo um casulo de borboleta) e somente em depois de cerca de um mês é que o adulto emerge e saem a procura do parceiro para começar tudo de novo.

É claro que este ciclo só se completa nos animais, pois é um processo muito dolorido para o hospedeiro e toda vez que uma pessoa é infectada, na primeira oportunidade dá um jeito de arrancar a larva da pele antes que ela cresça muito! Mas acredite: alguns pesquisadores já tentaram criar uma “larva-pet” em seus próprios corpos para estudarem este processo mais diretamente. Tem doido pra tudo!

content03

A larva é bem feia. Vista lateral!

dermatobia_hominis07

Vista frontal.

cliente=-e4c04fc4171b685c560cf2c96b4bab8d

Uhhh!!!! Retirando a larva da cabeça de alguém.

tumblr_ldas7fKHb71qeo1dvo1_400

E aqui, inacreditávelmente, uma larva se desenvolvia no olho de um menino!

 :o

———————————————-

FONTE1, FONTE2