Animais

Por que os ratos são usados como cobaias em experiências em laboratórios?

Muitas pessoas não sabem, mas a utilização dos ratos em experiências científicas favorece desde a criação de novos remédios contra o câncer até testes para suplementos alimentares. Tratamento para doenças como hipertensão, diabetes, problemas respiratórios, apoplexia, obesidade, catarata, mal de Parkinson, Alzheimer, câncer, fibroses, HIV, surdez, doenças do coração, distrofia muscular e problemas na medula espinhal são estudadas a partir destes modelos de cobaia. Também são muito usados em testes comportamentais, sensoriais, de idade e nutrição.

Os ratos são adequados para os estudos em laboratório por vários motivos. São animais muito pequenos ocupam pouco espaços e por isso os criadouros mantém muitos indivíduos em lugares menores. Eles se adaptam muito facilmente a novos ambientes e não demonstram estresse com mudanças. Além disso, são animais com um custo muito baixo e podem ser adquiridos em grandes quantidades dos criadores que promovem a reprodução especificamente para pesquisas.

Outro motivo é a respeito do fato de reproduzirem muito rápido. O período de gestação dura apenas 21 dias, o que permite que os resultados das experiências possam ser checados rapidamente. Como o tempo de vida estimada para no máximo 3 anos, permite que várias gerações possam ser estudadas em curtos períodos de tempo.




Os ratos possuem a genética muito parecida uns com os outros e isso permite uma uniformização dos resultados dos experimentos. O que muita gente não sabe é que esses animais são geneticamente e biologicamente, e se comportam de forma parecida com os seres humanos. Por este motivo, medicamentos podem ser testados com bastante eficácia, pois muitos de nossos sintomas podem ser aplicados nos pequenos roedores. Como os estudos com ratos já acontecem há décadas, pequenas mudanças comportamentais são percebidas facilmente pois sua anatomia, fisiologia e a genética já são bem conhecidas pelos cientistas.

Fonte: Mundo Estranho e Terra


10 comentários

10 Comments

  1. Apenas uma adição: A proximidade genética dos camundongos revelada pelo Projeto Genoma Humano, também tornou estes animais bastante úteis em experimentações genéticas, já que somos espécies proximamente aparentadas evolutivamente. Sendo assim, a comparação dos genomas de camundongos e humanos abriu espaço para o desenvolvimento da genômica comparativa que procura por sequencias funcionalmente importantes nestas duas espécies.
    😀
    Abraço,
    Carlos
    Biologia Interativa
    http://biologiainterativa.wordpress.com

  2. Maria Angélica

    em

    Nas aulas de histologia a gente via nas lâminas tecidos de coelho ou láparos . Acho que ficava mais próximo dos tecidso humanos em aparência .

  3. Olá Karlla,ando estudando alguns teoricos da educação e alguns me chamam atenção como aqueles que são os precursores da neurociência.Sem dúvida é um dos campos da biologia que vem se desenvolvendo e o a educação ganha muito com isso.Assim, poderemos entender o comportamento do nosso aluno, parentes, etc.E essas informações que vc troca conosco nos ajuda muito.Luzenilda 😀

  4. 😀 :love: :angel: 👿 :whistle: :woot: Ai eua amei o texto muito explicativo vou poder fazer meu trabalhao de escola sossegada bjo adoro vcs…..

  5. EU ODIEI TUDO MUITO CHATO ECAAAAAAAAAAAAA TIRA ESSA PORCARIA DAI

  6. otimo amei muito muito muito mas muito mesmo amo voces 😀 😆 tchau

  7. Luiz Gustavo

    em

    desde que seja realizado todo procedimento que vigora as leis do direito dos animais eu sou a favor de experimentos, tanto no pré e pós analítico.

  8. drikah

    em

    o bronzeamento foi maldade poh 🙁

    • stela

      em

      todo teste com animal é maldade,eles não recebem pra isso e ainda perdem a vida.

  9. ana carolina

    em

    meu , coloca um ngc bom .. pra gente entender melhor ¬¬’

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo