Sua saúde

Médicos utilizam larvas de moscas para tratamento de feridas crônicas e é um sucesso!

Médicos utilizam larvas de moscas para tratamento de feridas crônicas e é um sucesso!
5 (100%) 2 votes

Eu adoro e estudo os insetos e todos sabem disso. Mas assumo que é difícil aceitar a possibilidade de ter larvas nojentas devorando um tecido do nosso corpo. Mas saiba que a larva-terapia está virando moda no mundo inteiro com resultados impressionantes de recuperação. Esta terapia especial resulta numa impressionante “limpeza de feridas” como se fosse uma bio-cirurgia.

O tratamento consiste no uso de larvas de moscas com hábito saprófago, ou seja, que se alimentam de tecido necrosado (podre). Normalmente vem sendo usadas as larvas da mosca Lucilia sericata (um tipo de mosca-varejeira) gostam exatamente daquilo que causa um problema na ferida: o tecido morto que não cicatriza. Essas larvas não possuem pequenos dentes. Elas liberam uma enzima que prepara o seu “alimento” e ainda acaba com bactérias resistentes a antibióticos.

As larvas da mosca varejeira são cultivadas livres de germes em um laboratório. Em comparação com o método tradicional de limpeza da ferida com bisturi e do combate à infecção com medicamentos realizam o seu trabalho totalmente sem dor e sem efeitos colaterais. As larvas trabalham de maneira altamente seletiva, assimilando somente tecidos mortos, sem mexer nas partes saudáveis. Como nos tecidos mortos não há mais fibras nervosas, o paciente não sente nada. Após três ou quatro dias é efetuada a troca do curativo e das larvas. As larvas aumentaram seu volume corporal em 10 vezes quando o existe muito tecido necrosado. O tratamento demora de 2 a 6 meses.




A aplicação destes “bio-cirurgiões” é contra-indicada quando há uma abertura corporal perto da ferida ou no caso de ferimentos agudos. É muito indicada para feridas crônicas, como abcessos nas pernas do diabético ou escaras (feridas crônicas, abertas no paciente que fica longos períodos deitado).

Como outros métodos de cura que já caíram no esquecimento, o tratamento de feridas com a larva Lucilia sericata não é nenhuma invenção da atualidade. Durante a guerra de recessão norte-americana, os médicos nos campos de batalha observavam que os feridos deitados a céu aberto apresentavam uma cura surpreendentemente rápida, depois que moscas varejeiras haviam posto seus ovos nas feridas. Também na 2ª Guerra Mundial os médicos usaram esse método com sucesso. Somente no decorrer do desenvolvimento dos antibióticos a terapia com a ajuda das larvas foi esquecida.

00h

1- As larvas criadas em laboratório são acondicionadas em frascos etiquetados dessa forma: Larvas Medicinais Desinfetadas



00d

2- A ferida necrosada é preparada para receber as larvas. Notem a quantidade de tecido apodrecido e infeccionado.

00b

3- As larvas recém-emergidas e famintas são colocadas diretamente na ferida, protegidas com gaze e então o curativo é fechado normalmente.



00e

4- A cada 2  dias o curativo é trocado. Impressionante: As larvas devoram o tecido necrosado e aumentam 10 vezes o seu tamanho.

00g

5– A ferida é lavada, as larvas gordinhas são retiradas. O processo é repetido: a ferida recebe outro “carregamento” de larvas (cerca de 200). Geralmente o tratamento demora de 2 a 6 meses dependendo da gravidade.

00f

6- O resultado é impressionante!

 


45 comentários

45 Comments

  1. Carla

    em

    Deuzulivre xará…
    muito nojento,esse video ai nem vou ver nao.
    Mas valeu pela materia, muito legal… so as fotos q nao :sick:

  2. Nojento, mas muito interessante e prático,e o melhor sem dor… É um ótimo tratamento… Mas mesmo sabendo q elas são limpinhas ainda é nojento…

  3. Realmente xará, concordo com vc. É nojento! :sick:

  4. Kleber

    em

    Bem interessante esse tratamento, especialmente útil no caso do Diabetes. E ainda se evita o bombardeio de antibióticos no paciente.

  5. Kzin

    em

    eu tinha visto este video junto de outros só que referentes a miíase, que seria no caso vermes indesejados no corpo, tratamento ou nao me da mt nojooo, passo dias com nojo dps d lembrar dessa ideia d vermes em mim, aaa aguniaaa, conhecimento as vezes é demais sim -.-“

  6. KZIN
    fico igual vc. Com nojo vários dias…. como vi esse vídeo e os outros antes de postar… fico lembrando toda hora. Mas eu faria o tratamento se fosse preciso sem nenhum problema! :sick:

  7. Muito bacana,

    Eu já tinha lido um artigo na Ciência Hoje sobre esse uso.

    Como diria o J.R.R. Tolkien: “Nem todo ouro rebrilha…” É por isso que se busca tanto preservar a biodiversidade, muitos tratamentos ainda podem ser descobertos.
    Vou postar um resumo e que remeta a sua postagem num blog acessado por estudantes e professores de Biologia.
    Parabéns

  8. Cérebro

    em

    Eca!Que nojo!!!Horrivel,mas o resultado é impressionante! :alien:

  9. Maria Angélica

    em

    É uma ótima iniciativa; ja´pensou quantas pessoas seriam beneficiados com tratamentos assim ? Diabéticos, hipertensos, alérgicos. Sem medicamento alopático e medidas (aparentemente) simples, mas eficazes. Tem razão: preservar a biodiversidade e , quem saber, descobrirem mais alternativas aos vários tratamentos com efeitos colaterais ?

  10. Leocadio

    em

    Mais uma vez, parabéns pelo blog sempre interessante!

  11. Rangel

    em

    Nojento mesmo. >.<
    Meu avô tinha larvas dentro do pescoço. Ele tinha uma ferida no local onde foram depositados os ovos. xD

  12. Rod

    em

    Eu não acho muito nojento, fico pensando: Será que não faz cócegas esses ‘bigatos’ em algum momento do tratamento?

    []s
    e parabéns pelo blog.
    ps: cheguei a pouco tempo aqui, mas já esta nos feeds.

  13. Jeanne Leite Pavão

    em

    ADOREI MUITO INTERESANTE VALEU VOU APRESENTA UM SEMINÁRIO SOBRE FERIDAS ABORDANDO ESSE TRATAMENTO COM AS LARVAS QUE ACHEI MARAVILHOSO :love: :ninja: :angel:

  14. daiane

    em

    que nojeira eu nunca faria issso que maluquice. :sick: :bandit: ;-(

  15. Cao Sentado

    em

    tenho pavor de miiase. fede, eh nojento e nao faz nada bem. Uma vez tirei mais de 50 da cabeca de uma crianca mal cuidada. um horror. tenho pesadelos ate hoje… ;-(

  16. Pollyana Bueno

    em

    parabéns, muito interessante essa matéria vou passar para meus colegas de trabalho.e pavoroso mas é uma ótima iniciativa.

  17. Jessica

    em

    Ola!
    estou fazendo um trabalho de faculdade que fala disso!
    vc pode me passar a referencia?
    bjaaio 😀

  18. Daniel

    em

    No começo do texto eu achei nojento, mas as larvas são criadas em laboratórios, isso significa que estão livres de germes, O QUE EU REALMENTE SINTO NOJO É SABER QUE UM INSETO ANDE EM LUGARES OBSCUROS :d

  19. Ester

    em

    :whistle: Que coisa não…a medicina tão avançada…
    Parece que a cada dia que passa, voltamos mais ainda a era PriMITIVA…rsrrs
    Mas gostei deste novo método.

  20. manotroll

    em

    foda 😀
    podia ser usado nos dias de hoje
    iria ser legal pois sem antibiotico mas barato pro governo
    mas depois delas ficarem gordas são esterminadas ?
    ou ficam na fome e imagrece dinovo?

    • Manotroll -> Assim que elas atingem a maturidade, empupam e se tornam moscas adultas. Qdo estão empupando, não servem mais para limpar as feridas e aí acredito que sejam descartadas!

  21. mara almeida

    em

    Muito interessante essas larvas elas dão uma boa ajuda

  22. Ivo Berthoud

    em

    Olá 😀
    Meu pai a 2 anos jah esta sofrendo com um machucado na perna que nçao cicatriza por causa da diabetes, a algumas semanas ele começou a sofrer mais e mais e não pode fazer cirurgia devido a ferida que não cizatriza (ele tem mah circulação na perna tmbm)
    Gostaria de saber ONDE e QUANTO mais ou menos ta saindo esse tratamento aqui no BRASIL
    é minha ultima alternativa pra ajudar meu pai, por favor ME AJUDE !!
    Muito Obrigado pela atenção, qualquer coisa pode me manda um IMAIL ( ifberthoud@Hotmail.com )

  23. naiara cristina de olivera

    em

    :sick: mas as pessoas sao porcas de nao cudar de seu machucados como que deixa colocar clarvas no seu bropio machucado

    • carlos

      em

      ooooooo iguinoranci vc leu a materia ou so vou as fotos ?

  24. Achei fantástico e vocês estão de parabéns.Vou imprimir e passar para uma senhora que tem feridas nas pernas;pois a mesma é diabética.Com ess informação ele poderá prpcurar um médico com essa especialidade em algum hospital e clínica

  25. maria jose souza santos

    em

    Bom dia ,como conceguir estas larvas .minha Vó tem uma ferida no pe a muito tempo 3anos e nao cura ela nao tem diabetes . por favor me responda e se possivel me ajuda
    ela sofre muito com essa ferida …muito obrigado

    • Maria José, no Brasil, o tratamento com larvas ainda está em fase de estudos!

    • Elaine

      em

      Bem Maria Jose, muito cuidado com o que vc recomenda para sua avo ou quem quer que seja pois o curativo e’ privativo e de competência do enfermeiro, toda ferida deve ser avaliada por um profissional qualificado e isso as vezes não custa tanto, por ex. quase todo posto de saudade tem um enfermeiro ( nível superior ) e o acesso a este e’ fácil. Pelo que percebi esta ferida da matéria tem tecido necrótico o qual seria recomendado debridamento ( existem vários materiais que debridam ) inclusive estas larvas, mas no caso de sua avo’ pode não ser o caso podendo ser talvez dificuldade vascular. Um forte abraco !!!!

  26. ana paula

    em

    que nojinho credooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo parece macarrao e arroz buec que horror heinnnnnnnnnnnnnnnnnn fax um site de outra coisa nojentooooooooooooooooooooooooooooooooo

    • Jenifer

      em

      Você é quem está olhando um site de Biologia… Ninguém te amarrou e esfregou sua cara no computador. Então, por favor, se não gosta retire-se e deixe os amantes da ciência apreciarem. O site é ótimo e se você não consegue apreciar isso, o que está fazendo aqui?

  27. selma

    em

    estou com uma lesão nas costas esta avermelhada e com furinhos, o médico disse que seria uma infecção bacteriana, poderia ser bicheira?

  28. jaqueline fantinato

    em

    bom dia,
    minha mãe tem ulceras cronicas no pé , estamos tratando com varios antibioticos mas nada de resolver pois o tecido necrosado é muito;
    gostaria de saber com adquirir estas larvas para tratamento o medico dela ja me falou que este tratamento é bom

    vc pode me ajudar ?

    preciso com urgencia pois o pé esta a ´ponto de amputação
    obrigada

  29. alex chan

    em

    Bom dia, Karlla.
    Existe alguma clínica em São Paulo que disponha desse tratamento?
    Obrigado.

    • Hallan

      em

      Olá, Alex. Eu escrevi um artigo sobre a Biocirurgia ou Terapia Larval na revista Ciência Hoje (jan/fev 2004). O único médico brasileiro que tive notícia de utilizar essa prática no Brasil é o Dr. Luiz Cláudio Cândido (http://www.feridologo.com.br/), em Santos.
      Existem pesquisas na Unicamp que já estão em estágio bem avançado, mas ainda não estão em prática. Essas pesquisas visam encontrar espécies brasileiras para a prática da Terapia Larval.

  30. luiz monteiro

    em

    quero saber onde se realiza essa cirurgia

  31. ELISIANE

    em

    muito nojento mas tudo o ajuda a curar as pessoas:é valido,,,parabéns pela materia!!!!!

  32. Cristina Ap.

    em

    Flor,ouvi falar deste tipo de tratamento no mexico e tambem na Inglaterra.
    Verifique…..
    Serei enfermeira em breve e adoro sua pagina.

  33. Marcia

    em

    Esse tratamento com larvas ja tem no Brasil?como faço para saber mais o caso ja esta grave pois ja foi feito uma cirurgia e nao tem mais o dedinho do pé e ja esta passando para outro

  34. Hallan Beraldo

    em

    Muito interessante esse artigo. Escrevi um artigo durante o período da faculdade sobre a Terapia Larval (Ciência Hoje, jan/fev 2004), e meu TCC também foi sobre isso.
    Fico muito feliz pela divulgação da pratica. Espero que ela se difunda pelo Brasil.
    E também amo os insetos!

  35. Vinicius

    em

    Olá Karla, eu tenho uma questão para um inseto diptera que eu assisti numa reportagem na tv, mas foi de passagem, dizia sobre controle biológico contra gafanhotos e a tal mosca que combatia o gafanhoto chamava-se cobra com asa ou cobra de asas.

    Pode me ajudar com essa dúvida?

  36. Ralf Rickli

    em

    Matéria interessantíssima – tanto que merece uma pequena correção: nunca existiu “guerra de recessão norte-americana”, e sim Guerra da Secessão, com S…

  37. Anna

    em

    Olá tem um vídeo ” calcanhar de maracujá” que mostra a limpeza desses processos.

  38. guilherme

    em

    … não seria guerra da secessão?

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo