Essa você não sabia: cola usada para fechar cirurgias é feita de veneno de cobra

“As curiosidades são demais. Eu queria saber se é verdade que a cola usada para fechar cirurgias é feita de veneno de cobra?” Karina Sales 

A resposta é SIM, Karina… Na verdade, a cola usada nos procedimentos de sutura hoje, são fabricadas a partir de materiais químicos e biológicos. São usadas principalmente em cirurgias de pulmão, traqueia e esôfago e também em suturas de cirurgia plástica. Foram desenvolvidas com a esperança de reduzir os vários problemas causados na sutura tradicional, como infecções e principalmente, as terríveis cicatrizes.

Bom, mas para melhorar ainda mais a técnica, foi desenvolvido um método de purificação da enzima que induz a formação de uma cola biodegradável. Essa enzima, denominada BthTI, é obtida a partir da peçonha da serpente brasileira Bothrops moojeni.

A enzima da serpente,quando misturada com uma solução de fibrinogênio bovino resulta na formação de uma cola, denominada de cola de fibrina. A cola fecha a incisão e é, depois, absorvida pelo organismo, gerando cicatrizes menores e reduzindo as inflamações e outras complicações.

Os cientistas sabem que a peçonha desses animais é um celeiro de moléculas possivelmente úteis para a medicina, já que são capazes de interagir com o sangue de suas presas. As serpentes do gênero Bothrops, cujo veneno é um potente anticoagulante capaz de causar uma bela hemorragia com uma simples picada. Assim, os componentes da peçonha são imunes a um possível contra-ataque de substâncias inibidoras do sangue humano. Ou seja, a cola feita com a enzima da cobra não podem sofrer qualquer rejeição no organismo de mamíferos.

Bothrops_moojeni-SaoPaulo
Uma cola desenvolvida a partir de peçonha de serpente brasileira promete revolucionar as cirurgias plásticas! A técnica foi desenvolvida na UFU (Universidade Federal de Uberlândia – MG)
-----------------------------------------------------------------
 FONTE: INSTITUTOINOVAÇÃO, FOLHAONLINE